Câncer de mama tem mais chance de cura quando tratado no início


Publicado em: 01 de outubro de 2019

Alerta é do médico oncologista do Hospital de Base que orienta sobre a importância de realizar exames regularmente para o diagnóstico precoce –

Com a chegada do Outubro Rosa, um mês dedicado ao combate do câncer de mama, o médico chefe da Unidade de Oncologia do Hospital de Base, Daniel Girard, explica a importância de exames regulares para o diagnóstico precoce da doença, que têm grande probabilidade de cura quando tratado no início. Atualmente, a incidência de casos é de 60 mulheres para cada 100 mil habitantes.

“Em geral, a orientação feita pelo Ministério da Saúde é de que as mulheres de 40 a 59 anos façam a mamografia a cada dois anos. Já aquelas que estão abaixo dessa faixa etária devem fazer a ultrassonografia mamária. Esses exames são fundamentais para detecção do câncer de mama, que tem quase 100% de chance de cura quando identificado na fase inicial”, ressaltou o médico.

O médico ressaltou que, dependendo de cada caso, o médico poderá indicar a realização do exame em um período de tempo inferior. Para fazer o exame, basta que a mulher procure a Unidade Básica de Saúde (UBS) mais perto da sua residência. Lá, ela poderá ser consultada e agendar os exames, que são realizados em diversos hospitais públicos do DF, incluindo o Hospital de Base.

“Outra orientação importante é que a mulher conheça seu corpo e, caso note alguma alteração, procure um médico. Ele vai orientar sobre os exames necessários. O câncer de mama é o que mais atinge mulheres atualmente”, disse Girard.

PERFIL – As mulheres que têm mais chances de desenvolver o câncer são aquelas que possuem fatores de risco, entre eles, histórico familiar de câncer de mama ou de câncer no ovário, as que nunca tiveram filhos ou não amamentaram, aquelas que tiveram a menarca (primeira menstruação) muito precoce ou menopausa tardia.

TRATAMENTO – O atendimento prestado à paciente diagnosticada com câncer depende da fase em que a doença foi diagnosticada. Entre os tratamentos estão cirurgia, quimioterapia e hormônio terapia alvo.

DADOS – Por mês, o Hospital de Base recebe de 150 pacientes novos na oncologia. Ao todo, mensalmente, são feitas cerca de 2,5 mil consultas oncológicas e 800 quimioterapias. Além disso, em média, 56 novos tratamentos são iniciados na radioterapia.

Texto: Ailane Silva/IGESDF

Fotos: Davidyson Damasceno/IGESDF

Não deixe de compartilhar: