Mães da UTI Pediátrica são homenageadas no Base


Publicado em: 10 de maio de 2019

Acompanhantes dos internados participaram de programação organizada pelas equipes da Unidade

A manhã desta sexta-feira (10) foi de comes, bebes e música no auditório do 4º andar do Pronto Socorro.
A equipe multidisciplinar, juntamente com as equipes de enfermagem e médica, promoveu um momento de festa para as mães que acompanham crianças internadas na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e USAT (Unidade Suporte ao Trauma) Pediátricas.
Conforme explica a supervisora das áreas, enfermeira Renata Torres, o objetivo da programação é humanizar o atendimento às mães que passam o tempo todo ao lado dos internados.
“As mães e pais estão muito fragilizados nesse ambiente. Essas internações, em geral, são por acidentes e, principalmente, as mães, acabam esquecendo todas as outras situações e acontecimentos externos. Por isso, esse atendimento e carinho especial é uma maneira de podermos acolher essas mulheres, que, na sua grande maioria, sofrem mais do que as crianças que estão nos leitos”, destaca.
A terapeuta ocupacional, Elisana Loren, conta que a atividade vinha sendo desenvolvida há cerca de um mês com a confecção de mural com fotos e recados das crianças em alta e, que o café da manhã, foi a culminância do período de homenagens.
“Organizamos um mês dedicado às mamães pensando, justamente, nessas mulheres que dedicam 100% de seu tempo aos filhos que estão aqui. Todos os colaboradores se envolveram. Providenciamos porta-retratos para as homenageadas e conseguimos proporcionar esse momento especial”, comemora.
Com música por conta do Serviço Auxiliar Voluntário (SAV), que trouxe instrumentistas e cantores, a manhã foi de muita emoção para todos os envolvidos, e as mamães foram só elogios para a iniciativa.

“Nosso sentimento é de gratidão. Estamos em um local onde somos invadidos por incertezas e angústia por não saber o que vai acontecer. Então, receber esse amor e essa preocupação de garantir nossa saúde emocional, é simplesmente indescritível. Não sei se algum dia poderemos agradecer esses profissionais por tamanha dedicação e desprendimento. O que toda a equipe faz por nós é impagável”, enfatiza Arlinda Macedo Guimarães, mãe social de um garoto de 12 anos internado há cerca de dois meses na UTI Pediátrica.Priscila de Souza Pinheiro, que acompanha há 18 dias seu filho de dois anos, vítima de atropelamento, também avalia positivamente a ação.
“Ficamos muito frágeis e tristes aqui. Essas atividades nos tiram um pouco do foco do motivo de estarmos nesse ambiente e, por isso, me sinto extremamente grata pelo carinho e atenção de todos”, acentua a mãe.

 

Texto: Leilane Oliveira/Iges-DF

Fotos: Davidyson Damasceno/Iges-DF

Não deixe de compartilhar: