IGESDF promove a I Jornada de Cirurgia do Trauma do Hospital de Base


Publicado em: 29 de novembro de 2019

Evento realizado nesta sexta-feira (29) contou com a participação de acadêmicos e profissionais da área –

Com o tema central “Atendimento ao trauma grave – Desafio multiprofissional”, a I Jornada de Cirurgia do Trauma do Hospital de Base foi promovida, nesta sexta-feira (29), pelo Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (IGESDF). Sediado no Centro Universitário de Brasília (Uniceub), o evento contou com a participação de aproximadamente 200 acadêmicos e profissionais da área.

“O objetivo da jornada do trauma foi trazer especialistas do Brasil para debater a assistência prestada ao paciente, melhorias nesse serviço e principais desafios enfrentados no dia a dia”, ressaltou o cirurgião do Hospital de Base e presidente do evento, Rodrigo Caselli.

Segundo ele, o serviço de traumatologia do Base é muito tradicional e uma referência. “É de grande importância realizar essa jornada, porque estamos fortalecendo o papel do Hospital de Base tanto na assistência, como na prevenção e na discussão do problema do trauma”, disse.

O chefe do serviço de Cirurgia do Trauma do Base, Renato Lins, reforçou que o remodelamento do Hospital, que se tornou instituto, foi possível criar um serviço específico de cirurgia para o trauma. “Vamos desenvolver cada vez mais o nosso atendimento de politraumatizado, tanto por parte dos nossos colaboradores, quanto por parte dos nossos residentes e alunos”, afirmou.

“Somente neste ano, tivemos mais de 3,7 mil autorizações de internação relacionadas ao trauma. Então, é um tema de muita relevância. Qualificar nosso atendimento e ter esse tipo de evento mostra o nosso compromisso em se qualificar e promover para a população o melhor atendimento possível”, reforçou o diretor de Ensino e Pesquisa, Everton Macêdo.

TEMAS – No evento, o presidente da Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado (SBAIT), Tercio de Campos, realizou a palestra com o tema “Cirurgia do trauma: é necessária uma especialidade?”. Outros especialistas também trataram de temas como Abordagem inicial do traumatizado, Experiência do Hospital João XXIII no atendimento inicial ao trauma e manejo do trauma torácico na sala de emergência.

Também foram tratados os temas manejo do trauma grave, trauma pélvico grave: desafio interespecialidades, cirurgia plástica e trauma grave: quando abordar precocemente?, entre outros.

 

Texto: Ailane Silva/IGESDF

Fotos: Davidyson Damasceno/IGESDF

Não deixe de compartilhar: