Apresentação de projeto-piloto para tratar infarto movimenta Hospital de Base


Publicado em: 03 de julho de 2019

Representantes de secretarias de saúde de diversos estados participaram do debate organizado pelo IGESDF e SES – 

Na terça-feira (02), o Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (IGESDF) recebeu no Hospital de Base (HB) cardiologistas das secretarias de saúde dos estados de Espírito Santo, São Paulo, Bahia e Rio de Janeiro, além de alguns representantes de secretarias municipais dessas unidades federativas, para apresentação do projeto-piloto denominado Sprint, criado em parceria com a Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF).

A médica da Unidade de Cardiologia do HB, Edna Maria Marques de Oliveira, conta que o alinhamento com a SES-DF prevê a integração dos hospitais regionais e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) aos hospitais de referência cardiológica da Rede de Saúde do Distrito Federal – Hospital Regional de Taguatinga e do Gama, e aos centros de hemodinâmica, sediados no Hospital de Base e Instituto de Cardiologia do DF, utilizando um aplicativo instalado em um tablet.

“O projeto visa levar o diagnóstico e tratamento precoce para os pacientes com Infarto Agudo do Miocárdio (IAM), que ainda é a principal causa de morte no DF e no Brasil. O dispositivo permitirá a comunicação entre as equipes médicas, com possibilidade de discussão do caso clínico do paciente e, ainda, uma segunda opinião, em tempo real, o que trará celeridade para o início dos tratamentos mesmo que o paciente não esteja no centro de referência em cardiologia no exato momento”, explica.

Edna afirma o que esse é um marco para o IGESDF que, certamente, terá uma melhora significativa em seus indicadores de qualidade.

“Nós estamos, constantemente, buscando a excelência no atendimento. E com essa ferramenta que chega às mãos dos profissionais de todas as unidades geridas pelo IGESDF, teremos possibilidades ainda maiores de atingir esse objetivo aumentando a eficácia nos tratamentos de IAM”, destaca.

Para o diretor-presidente do IGESDF, Francisco Araújo, “a partir de agora, com essa ferramenta e nossa gestão junto às UPAs, poderemos construir e garantir o atendimento com maior rapidez e possibilitar resultados mais efetivos para nossos pacientes. E é nesse caminho que queremos continuar, ampliar cada vez mais nossa atuação dentro de nossas unidades para que, pouco a pouco, possamos oferecer para toda a população uma saúde pública de excelência no nosso Distrito Federal”.

O aplicativo é validado por órgãos como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa); Administração de Comidas e Remédios dos Estados Unidos (FDA) e Agência Europeia de Medicamentos (EMA).

Texto: Leilane Oliveira/IGESDF

Foto: IGESDF

Não deixe de compartilhar: