Em sua terceira reunião, Comitê foca em otimizar ocupação dos leitos no DF


11/04/2019 - 19h54

Um levantamento está sendo feito para contabilizar vagas e checar situações de bloqueios para providenciar a reativação

Com a determinação de realizar um pente-fino em todos os hospitais para contabilizar leitos e investigar com mais detalhes os motivos de bloqueio, o Comitê de Gestão Estratégico da Saúde se reuniu, nesta quinta-feira (11). Esse é o terceiro encontro do grupo, que também trabalha com agilidade para reabastecer medicamentos e insumos, melhorar a infraestrutura das unidades e acelerar com qualidade o atendimento prestado à população do DF.

“Os leitos que precisam de manutenção mais simples serão consertados e ativados para serem disponibilizados, o mais rápido possível, para população, mas também estamos trabalhando em outras frentes como contratos de manutenção das infraestruturas e processo de logística”, ressaltou o diretor-presidente do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do DF (Iges-DF), Francisco Araújo.

O presidente ressaltou que a gestão está focada em dar celeridade as ações listadas como prioritárias e reverter a situação de precariedade encontrada em toda rede. “Não queremos que a população sofra mais. Por isso, estamos suprindo o abastecimento de medicamentos me insumos, a infraestrutura dos setores e reorganizando os recursos humanos para que não falte atendimento digno”, enfatizou.

O secretário de Saúde, Osnei Okumoto, abordou a dificuldade da pasta em realizar processos de compra e contratação. “Temos duas portarias criadas para regulamentação das compras, no entanto esses instrumentos têm travado muito nossas aquisições. Por isso, foram revisados e estão sendo validadas pelas áreas técnicas para dar agilidade nos processos”, disse, ao referir-se às portarias 210/2017, e 170/2018.

AÇÕES – O comitê estratégico está trabalhando para acelerar a compra de quatro ressonâncias magnéticas, além de um tomógrafo, para atender a demanda suprimida do Distrito Federal. A ideia é que atender aos hospitais de Santa Maria, Sobradinho, Centro Radiológico de Taguatinga e Asa Norte. Outra meta é contratar uma empresa com a maior celeridade possível para fazer a manutenção de todos os hospitais da rede. O processo já passou pela Unidade de Controle Interno da Secretaria de Saúde para deliberações e foi encaminhado às outras áreas envolvidas, para iniciar, imediatamente, o chamamento das empresas.

Outras ações importantes também estão em andamento. É o caso do processo de substituição dos aparelhos de ar condicionado do Hospital da Asa Norte – HRAN, que tem um prazo estimado de 90 dias para ser finalizado. As ações são pontuais, focadas em destravar os gargalos que impendem a melhoria dos serviços em toda a rede pública de saúde e que há anos não são resolvidos.
A meta central do Comitê é resgatar a saúde pública do DF da condição caótica que foi encontrada por esta gestão, dentro do prazo de seis meses estipulado pelo governador, Ibaneis Rocha, quando decretou situação de emergência na saúde do DF, em 7 de janeiro de 2019.

 

Texto: Ailane Silva/Iges-DF

Fotos: Iges-DF