Aberto Congresso de Emergências Médicas no Hospital de Base


21/03/2019 - 14h31

Evento é voltado para áreas multiprofissionais de saúde e vai até sábado (23)

Com mais de 50 palestras, o III Congresso de Emergências Médicas (COEM) foi aberto nesta quinta-feira (21), no Hospital de Base, unidade administrada pelo Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal. O evento, com a participação de acadêmicos de medicina de várias universidades do Distrito Federal, tem como objetivo atualizar profissionais de medicina, enfermagem, entre outras áreas, em atendimento de emergências.

Ao todo, serão aproximadamente 250 participantes do congresso, realizado por intermédio de parceria entre o Hospital de Base, Associação Brasileira de Medicina de Emergência ( Abramede) e outras entidades. Essa é a terceira edição, sendo que a primeira foi realizada também em Brasília e a segunda em Goiânia.

“O Hospital de Base é referência em trauma para o Distrito Federal e a Diretoria de Ensino e Pesquisa vem buscando apoiar todo evento cientifico que envolva assuntos voltados ao aprimoramento da assistência à saúde, buscando sempre a excelência para o SUS”, disse a Líder da Educação Permanente em Saúde do Base, Lorenna Rodrigues.

PROGRAMAÇÃO – As atividades ocorrem no 12º andar do Hospital de Base. A primeira capacitação foi realizada pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192), que ministrou cursos de urgência e emergência sobre atendimento de parada cardiorrespiratória e monitorização de paciente em estado grave.

A equipe do SAMU 192 trouxe manequins, desfibrilador, monitor cardíaco, e outros equipamentos para demonstrar, na prática, como atuar nessas situações. “Todo profissional de saúde deve saber atender uma vítima de parada cardiorrespiratória, o que é primordial porque impacta na chance de sobrevivência do paciente”, explicou a enfermeira no Núcleo de Educação em Urgências do Samu, Leia Melo.

Das 14h às 21h, serão iniciadas as palestras com diversos temas. Entre eles, estão abordagem da insuficiência respiratória aguda, acidentes de consumo e trauma abdominal.

Texto: Ailane Silva/IGESDF

Fotos: Lúcio Távora/IGESDF