Avanços na Saúde já são percebidos pela população


04/02/2019 - 16h00

Um total de 5.203 cirurgias realizadas em 30 dias de governo. Esse é o resultado de uma força-tarefa do Governo do Distrito Federal que, com um aumento mínimo de recursos financeiros e humanos, conseguiu girar leitos e reorganizar a gestão das salas cirúrgicas. A ação é parte do SOS DF Saúde, lançado pelo governador Ibaneis Rocha, ainda na primeira semana de governo.

“Começamos pelo Instituto Hospital de Base, verificando o que eles poderiam fazer para agilizar as cirurgias, vimos que poderíamos girar os leitos operando nas áreas de ortopedia, oftalmologia e urologia, que tinham filas muito grandes. Conseguimos, também, que o Hospital Regional de Taguatinga realizasse cirurgias à noite, uma vez por semana, e logo depois, também, o Hospital Regional do Paranoá”, destaca a subsecretária de Atenção à Saúde, Renata Rainha.

O pagamento da dívida com o Instituto de Cardiologia do DF (ICDF) também possibilitou aumentar o número de cirurgias, em especial as cardiológicas, e transplantes. “Conseguimos, junto à Subsecretaria de Gestão de Pessoas, colocar anestesistas em pontos estratégicos e ajuste de escalas, para dar maior assistência nessa área”, diz.

ATENÇÃO DOMICILIAR – Importante instrumento para liberar leitos, a atenção domiciliar também está sendo fortalecida. “A desospitalização é muito importante. Tirando pacientes crônicos de dentro de hospitais, será possível girar de leitos e cirurgias”, frisa Renata Rainha.

Foto: Gerson Lucas/Arquivo-SES

 

Para isso, a secretaria assinou novo contrato com uma empresa de home care e abriu mais 29 vagas para pacientes que podem continuar o tratamento em casa, totalizando 80 agora. Onze novos pacientes já foram transferidos e outros aguardam parecer jurídico, já que se tratam de crianças que precisam ir para abrigos.

A área também vai ganhar novas equipes, habilitadas junto ao Ministério da Saúde, o que significa a vinda de mais recursos para a pasta. Estão em processo de cadastramento quatro novas equipes, totalizando R$ 200 mil mensais em verba para a Secretaria de Saúde do DF.

NEFROLOGIA Além das cirurgias, outra área que avançou nestes primeiros 30 dias de governo foi a nefrologia. Os pagamentos com as clínicas de hemodiálise, que estavam atrasados desde outubro do ano passado, estão sendo regularizados.

Por outro lado, a Secretaria de Saúde também está buscando fortalecer o atendimento a estes pacientes nas unidades da rede. Está em andamento o processo de compra de equipamentos para a nefrologia: osmose reversa, máquina de HD, ultrassons e balança para cadeirantes.

Equipes da Subsecretaria de Atenção à Saúde estão visitando hospitais para fazer um levantamento das demandas locais. No Hospital Regional de Taguatinga, por exemplo, estão sendo avaliados estrutura física, ambiente de trabalho e a ampliação do serviço de diálise peritoneal, com capacidade para 130 novas vagas.

No Hospital Regional da Asa Norte, a equipe encontrou sete aparelhos de hemodiálise guardados em uma sala do subsolo. A Subsecretaria de Infraestrutura foi acionada para verificar a possibilidade de manutenção destes aparelhos.

Foto: Breno Esaki/Saúde-DF

 

A nível central, foi iniciado o levantamento de endereços dos pacientes em diálise peritoneal, para planejamento das ações de acompanhamento domiciliar.

FARMÁCIA Entre os avanços na área farmacêutica, merece destaque o início da dispensação de insulina análoga. O cadastro de pacientes já foi iniciado pela Farmácia Escola e na Policlínica de Taguatinga.

A dispensação das insulinas ultrarrápida provenientes do Ministério da Saúde aos pacientes cadastrados está prevista para iniciar na primeira semana de fevereiro deste ano, tendo em vista que as insulinas chegaram à secretaria na quinta-feira (31/1).

 

 Fonte: Agência Saúde