SALVAR VIDAS É O NOSSO COMPROMISSO.

Dia Mundial da Asma alerta para prevenção da doença

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Pacientes foram orientados em palestra promovida no Ambulatório do Hospital de Base

Nesta terça-feira (7), em celebração ao Dia Mundial da Asma, os pacientes do ambulatório do Hospital de Base tiveram a oportunidade de assistir a uma palestra sobre a prevenção da doença, no corredor do Ambulatório. A asma é uma doença inflamatória crônica dos pulmões caracterizada por obstrução ao fluxo aéreo, geralmente reversível espontaneamente ou com tratamento.

A médica alergista, Marta Guidacci, explicou que a prevalência da asma na população varia de 15% a 20%, sendo que o Brasil está em 8º lugar no número de pessoas com o diagnóstico. “Com base neste percentual, pode ser projetada a existência de 450 mil asmáticos em Brasília. É a doença crônica na infância mais frequente após a desnutrição e a terceira maior causa de internação e gasto pelo Sistema Único de Saúde”, disse.

CAUSAS – As principais causas para a crise de asma são: ácaros (microorganismos que vivem na poeira doméstica de colchões, travesseiros, estofados, bichos de pelúcia, tapetes, carpetes e cortinas) e fungos (mofo). Também estão na lista barata, pelos, urina de cães e gatos e polens.

Também causam a asma infecções virais como gripes e resfriados, Infecções bacterianas com sinusite, fatores irritativos com a fumaça do cigarro, substâncias inaláveis em ambiente de trabalho, medicamentos (aspirina, anti-inflamatórios,anti-hipertensivos, colírios), alterações hormonais (gravidez, anticoncepcionais orais), entre outros.

PULMÕES – Quando o paciente alérgico sensibilizado entra em contato com um dos fatores desencadeantes, os músculos dos brônquios se contraem (broncoconstrição), a mucosa que reveste as vias aéreas incham (edema) e as glândulas que produzem o muco aumentam a sua produção.

Com isso, há uma diminuição do fluxo aéreo levando aos sintomas de tosse, cansaço para respirar (dispnéia) e chiado no peito (sibilos). O asmático pode ter febre e a tosse pode estimular os vômitos. Os sintomas geralmente pioram a noite e pela manhã. Porém, às vezes, a tosse pode ser o único sintoma.

O QUE FAZER? O tratamento da asma é feito com medidas de controle ambiental, medicamentos de crises e profiláticos. O controle ambiental serve para diminuir a exposição às substâncias alergênicas e irritativas das vias aéreas. O tratamento deve ser prescrito pelo médico.

 

Texto: Ailane Silva/Iges-DF

Fotos: Davidyson Damasceno

Atendimento à imprensa
Ascom/Iges-DF
(61) 3550-8810
imprensa@igesdf.org.br

Compartilhe esta notícia pelo:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Nossas redes:

IGESDF | SMHS - Área Especial - Quadra 101 - Brasília - DF | CEP: 70.335-900 | CNPJ: 28.481.233/0001-72