Iges-DF possui 67 seleções abertas e mais de 10 mil inscritos


20/04/2019 - 19h40

Entidade está formando banco de profissionais para garantir que não faltem recursos humanos em Upas, hospital de Santa Maria e Base

Com 67 seleções abertas e 10 mil inscritos, o Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges-DF) se prepara para a reorganização e recomposição dos recursos humanos nas seis Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), Hospital Regional de Santa Maria, após a ampliação do modelo de gestão que antes era aplicado apenas no Hospital de Base.

Para iniciar a contratação de pessoal, o Iges-DF aguarda a assinatura da contratualização dessas unidades com a Secretaria de Saúde, que tem até julho deste ano para ser assinada.
“São 67 cargos com seleção aberta. Entre as opções para médicos estão cirurgião do trauma, cirurgião dentista, cirurgião geral, ginecologista e obstetrícia, intensivista, nefrologia, emergencista, pediatra, neonatologista, plantonista e clínica médica”, disse a superintendente de Gestão de Pessoas do Iges-DF, Maria Valda Cesar, ao citar também enfermeiros e técnico de enfermagem.

SELEÇÃO – O Iges-DF conta com regime de contratações próprio. O processo seletivo é público e a primeira fase é a de recrutamento de candidatos. A segunda é a de seleção, que conta com avaliações específicas de conhecimentos, competências técnicas e comportamentais, subdivididas em etapas, de acordo com o perfil exigido para o cargo. Os processos podem ser conferidos neste link.

“Para ser contratado, o candidato deve passar pelas seguintes etapas: prova online, análise de pontuação curricular, dinâmica em grupo, prova de conhecimento (se for o caso) e entrevista por competência. Após a elaboração de laudo técnico feito pelas equipes de Recursos Humanos, o gestor da área para a qual o profissional candidatou-se realiza entrevista final”, explicou a superintendente.

DIMENSIONAMENTO – No caso das UPAs do DF, classificadas pelo Ministério da Saúde como categoria 3, perfil 8, está em fase final o dimensionamento da força de trabalho para que toda a capacidade instalada seja ativada e feita a assinatura do contrato de gestão.

“Vamos usar parâmetros técnicos que definem o quantitativo suficiente para que o serviço não seja interrompido, inclusive, em período de férias ou licenças dos funcionários”, disse Maria Valda Cesar. De acordo com ela, os parâmetros técnicos levam em consideração elementos como número de leitos, equipe de enfermagem e multiprofissional e quantidade de médicos.

Já o Hospital Regional de Santa Maria (HRSM), além da avaliação dos recursos humanos, está em análise a carteira de serviços, o que também terá impacto na contratação de pessoal.
SERVIDORES – Os servidores terão opção de continuar atuando nas UPAs e no HRSM, após essas estruturas passarem a ser administradas pelo Iges-DF. Eles também podem optar por retornar à Secretaria de Saúde, sendo que a pasta divulgará um documento para regulamentar os trâmites.

DADOS – Atualmente, o Hospital de Base conta com 1.616 profissionais contratados por CLT, 2.142 servidores e 174 médicos residentes, totalizando 3.932 colaboradores. No Hospital Regional de Santa Maria (HRSM), são 2.048 servidores. Já o levantamento feito para as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) contabilizou 188 servidores na unidade de Ceilândia, 178 no Núcleo Bandeirante, 187 no Recanto das Emas, 156 em Samambaia, 154 em São Sebastião e 165 em Sobradinho.

Texto: Ailane Silva/Agência Saúde

Fotos: Divulgação