IHB inicia terapia com iodo radioativo para pacientes com hipertireoidismo e câncer na tireoide


01/11/2018 - 10h55

O Instituto Hospital de Base (IHB) iniciou, na última terça-feira (16/10), as primeiras terapias ambulatoriais, com iodo radioativo, para pacientes com hipertireoidismo. Os sete atendimentos aconteceram no quarto terapêutico da Unidade de Medicina Nuclear do IHB, único da rede pública a contar com uma sala capaz de realizar atendimentos ambulatoriais e em condições de internar os portadores das patologias em questão.

Os pacientes regulados que estavam na fila de espera do Hospital Universitário de Brasília (HUB) foram acompanhados por uma equipe especializada em medicina nuclear, composta por médico, farmacêutico, física e supervisora de radioproteção, técnicos em enfermagem e equipe técnica em radiologia e medicina nuclear. O Chefe da Unidade de Medicina Nuclear, doutor Rodrigo Guimarães, detalha as etapas do tratamento: “durante a semana, eles passaram por consulta de avaliação da doença, definição de doses de medicamentos, exames para análise da enfermidade e confirmação de diagnóstico, além de receber uma série de instruções em relação ao preparo para o tratamento”.

A partir de agora, os pacientes serão acompanhados por médicos assistentes. Segundo o doutor Rodrigo Guimarães, a evolução natural da terapia com o iodo radioativo é o desenvolvimento do hipotireoidismo, que representa a falta do hormônio tireoidiano. Nesse estágio da doença, o problema pode ser mais facilmente tratado, ao contrário da etapa anterior, já que as medicações aplicadas ao hipertireoidismo apresentam alguns efeitos colaterais.

A partir do dia 31 de outubro, a iodeterapia será utilizada para tratamento de combate ao câncer da tireoide. Para isso, é necessário um período de preparação, que dura cerca de quatro semanas. Dentro do quarto terapêutico do IHB estão funcionando dois leitos. A estimativa é de que pelo menos 150 pacientes com câncer na tireoide e 90 com hipertireoidismo sejam beneficiados. “Queremos dar qualidade a todos. Para as pessoas com um tumor avançado, o nosso objetivo será aumentar, prolongar a sua sobrevida. Já para aqueles com o câncer em estágio inicial, trabalharemos com o intuito de curá-los dessa oncologia”, concluiu doutor Rodrigo.