Ação preventiva em Oftalmologia atendeu 307 pacientes no Hospital de Santa Maria


08/03/2019 - 17h06

Evento educativo teve como objetivo identificar casos de catarata e outras doenças

Uma ação educativa e preventiva, organizada pela Secretaria de Saúde e Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (IGESDF), realizou testes e exames oftalmológicos em 307 pacientes. As avaliações aconteceram durante esta sexta-feira (8), em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, no Ambulatório do Hospital Regional de Santa Maria (HRSM).

A paciente Maria da Conceição Euzébio da Silva, 53 anos, ficou sabendo da ação no Facebook e buscou atendimento no ambulatório. No exame de acuidade visual, ela descobriu que tem dificuldade para ler e enxergar letras pequenas.

A ação teve a parceria do Grupo Opty, formado pelo hospitais Oftalmológico de Brasília (HOB), de Olhos Inob e de Olhos do Gama (HOG). Eles forneceram equipamentos, médicos e técnicos para os exames de catarata e outras doenças oftalmológicas.

AVALIAÇÃO – Foram detectados 41 indícios de catarata (quando o cristalino se torna opaco e pode levar à cegueira), 24 casos de pterígio (membrana ou “carne” que cresce sobre a córnea), 42 com deficiência visual (refrativa – necessidade de usar óculos para longe ou para perto) e 36 pessoas fizeram apenas os exames autorrefrator e tonômetro. Os demais, 164 cadastrados, passaram por avaliação e não apresentaram qualquer dificuldade visual.

Todos os pacientes passaram por exames de tonometria, autorrefração e teste de acuidade visual, capaz de identificar a qualidade da visão da pessoa. Os casos considerados mais graves, como catarata e pterígio, receberam atendimento da oftalmologista.

Foi o caso da dona Maria José Galdino de Assis, 67 anos, que, além do pterígio, ainda tem catarata nos dois olhos, problema identificado pelo exame chamado lâmpada de fenda. “Ela precisará fazer uma consulta geral e exames mais específicos para determinar se seu caso é cirúrgico”, explicou a oftalmologista Laura Moreira, enquanto orientava a paciente sobre a necessidade da prevenção.

CUIDADOS – Para o diretor do hospital, o médico Igor Silveira Dourado, a consulta em Oftalmologia é de suma importância, em qualquer idade. “Hoje, pudemos identificar e orientar vários pacientes com diminuição importante da visão, muitos deles sequer tinham feito algum tipo de exame da visão durante toda a vida, quando o ideal é passar por avaliação uma vez ao ano”.

Igor, que trabalhou no cadastramento de pacientes durante toda a manhã, ao lado da médica Kenisse Dourado, confirmou que muitos idosos tiveram diagnóstico de catarata e foram devidamente orientados. Segundo o diretor, “os pacientes de Santa Maria receberam atendimento e isso é muito importante”.

Valdeci Gonçalves dos Santos, 66 anos, saiu satisfeita da avaliação. Ela contou que os olhos lacrimejam muito, “principalmente à noite e quando estou lendo”, e vai precisar de exames complementares. Mas a oftalmologista disse que ela está com a pressão dos olhos sob controle.

O evento começo às 8h e terminou por volta das 16h. O atendimento, aberto à comunidade e aos servidores da unidade de saúde, beneficiou crianças, jovens e idosos.

OUTRAS AÇÕES – No Hospital de Base, a direção do IGESDF preparou um lanche da tarde para as colaboradoras. Além disso, foram divulgados vídeos em homenagem às mulheres, com a participação de profissionais e, ainda, do diretor-presidente, Francisco Araújo.

“A importância da mulher na sociedade sempre foi e sempre será fundamental. O IGESDF parabeniza todas as mulheres que trabalham de forma dedicada, honesta e comprometida para oferecer o melhor para a sociedade”, finalizou.

Texto: Ascom IGESDF/SESDF

Fotos: Ascom SESDF e Lúcio Távora/IGESDF