Medidas simples podem evitar doenças respiratórias em crianças, alertam especialistas

Orientação é feita por médicos do IgesDF por causa do aumento da circulação de vírus respiratórios neste período do ano

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

 

A chegada do frio traz também o aumento de doenças respiratórias nas crianças todos os anos. Por isso, é importante que os pais estejam atentos às medidas preventivas simples que devem ser adotadas para evitar a transmissão dessas doenças, que têm como principais sintomas febre, tosse e coriza. O alerta foi feito é feito por médicos do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (IgesDF).

Nestor Miranda, diretor de Atenção à Saúde do IgesDF, cita que entre as medidas de prevenção em relação às crianças estão “vaciná-las e mantê-las em locais arejados, bem como oferecer alimentação saudável, aumentar a oferta de água e administrar remédios com orientação médica”. O médico esclarece que “devido ao frio, é comum que as pessoas fiquem aglomeradas, acomodadas em suas casas, em ambientes fechados e não saiam ao ar livre. Isso propicia uma disseminação de infecções virais respiratórias ou até de outras infecções virais. Uma das medidas para combater isso é manter a cobertura vacinal em dia. Lembrem-se de que existe uma campanha de vacinação contra a gripe, se você não foi e não levou seu filho, está na hora de ir. Isso vai fazer com que você proteja a você, sua família, seus filhos e seus parentes próximos”, disse.

Segundo o diretor, quando as crianças estão doentes, ficam mais suscetíveis a outras patologias. Assim, uma doença que começa com uma virose comum pode desencadear algo mais sério, como uma bronquiolite ou uma pneumonia. Por isso, a orientação é ficar de olho nas medidas de prevenção abaixo:

– Aumente a frequência da oferta de água para maior hidratação do corpo;– Aumente a frequência da amamentação;– Evite aglomerações e ambientes fechados, onde há maior propagação de vírus e bactérias;– Mantenha os ambientes ventilados;– Higienize as mãos da criança com água e sabão;– Evite contato com pessoas que apresentem sintomas respiratórios;– Não compartilhe objetos de uso pessoal, como talheres, pratos e copos.Mariela Souza de Jesus, diretora-presidente do IgesDF, reforça a importância da prevenção. “Como sabemos, neste período do ano as doenças respiratórias aumentam significativamente. Manter as vacinas em dia evitar aglomerações são medidas importantes”, finalizou.

ONDE PROCURAR ATENDIMENTO?

 

Conforme explica a médica pediatra do Pronto-Socorro Pediátrico do HRSM, Maurisa Rosa, em casos de menor gravidade, a orientação é buscar atendimento primário e, quando houver sinais de alarme, procurar assistência especializada. “Se a criança apresenta sintomas gripais leves – ou seja, tosse, coriza e espirro – deve ser feita a lavagem nasal com soro fisiológico e uma avaliação na Unidade Básica de Saúde – UBS. Já no caso de sintomas de gravidade, que são febre alta acima de 39 graus, dificuldade para respirar e de se alimentar, bem como já possuir outra doença, é necessário procurar atendimento hospitalar”, disse.

 

A gerente de Medicina Interna do HRSM, Lara Vieira, informou que todos os pacientes pediátricos que chegam ao Hospital passam pela triagem infantil. “Eles recebem uma classificação de risco que determina a prioridade do atendimento e são atendidos de acordo com a sua gravidade”, finalizou.

Reportagem: Ailane Silva

Edição: Renata Nandes

Atendimento à imprensa
Ascom/IGESDF
(61) 3550-9281
imprensa@igesdf.org.br

Compartilhe esta notícia pelo:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Nossas redes:

IGESDF | SMHS - Área Especial - Quadra 101 - Brasília - DF | CEP: 70.335-900 | CNPJ: 28.481.233/0001-72

Nossas redes:

IGESDF | SMHS - Área Especial - Quadra 101 - Brasília - DF | CEP: 70.335-900 | CNPJ: 28.481.233/0001-72