SALVAR VIDAS É O NOSSO COMPROMISSO.

Smartphone começará a ser usado no Base para acelerar tratamento de infarto

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Aparelho foi entregue nesta terça (19) para que cardiologistas sejam acionados por UPAs e pronto-socorros para orientá-los sobre as primeiras intervenções

A Unidade de Cardiologia do Hospital de Base recebeu, nesta terça-feira (19), um smartphone que será usado exclusivamente para atender chamados de infarto agudo do miocárdio (IAM). A ideia é que as equipes das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e dos pronto-socorros hospitalares da Secretaria de Saúde do DF acionem os médicos ardiologistas do Base para que determinem o tipo de tratamento, quando chegarem pacientes com suspeita desse diagnóstico.

Edna Marques, cardiologista do Hospital de Base, explica que a ação é um complemento ao Projeto Sprint. A iniciativa já em funcionamento e consiste no uso de tablets que têm um aplicativo que permite a comunicação entre as equipes médicas para discussão do caso clínico, em tempo real, proporcionando o tratamento descentralizado e o mais rápido possível.

“O Distrito Federal já oferece o tratamento de infarto agudo do miocárdio descentralizado. O melhor tratamento é o mais precoce. O paciente com suspeita de infarto deve ir até a UPA ou Emergência mais próxima para o diagnóstico e o tratamento, que pode ser feito no local, sem perda de tempo, evitando sequelas”, disse a médica.

Com o aparelho telefônico, o médico plantonista do Base será acionado para visualizar as informações enviadas pelo aplicativo no tablet. Podem ser cconsulcons histórico do paciente, exames, um questionário que será preenchido no aplicativo e outras informações para definir o tratamento.

Dependendo do resultado da avaliação, será indicado o uso de uma medicação no próprio local onde o paciente está sendo assistido. Em caso contrário, ele será encaminhado para uma das referências cardiológicas, que são os hospitais regionais de Taguatinga e Gama, bem como para o Hospital de Base e Instituto de Cardiologia, que são centros de hemodinâmica (ramo da fisiologia que estuda a circulação do sangue).

ENTENDA – O tablet fica disponível na Sala Vermelha das UPAs e prontos-socorros, local em que os pacientes são atendidos com suspeita de infarto. Quanto mais rápido o atendimento, melhor o resultado para o paciente. No Hospital de Base, há um dispositivo na Unidade de Pronto-socorro e outro na Hemodinâmica.

Em caso de suspeita de infarto, o paciente deve procurar uma das seis UPAs localizadas em Ceilândia, Núcleo Bandeirante, Recanto das Ema, Samambaia, São Sebastião e Sobradinho. Também estão aptos para fazer o tratamento os pronto-socorros hospitalares do Gama, Guará, Sobradinho, Planaltina, Leste, Taguatinga, Ceilândia, Samambaia, Base e Instituto de Cardiologia, que também receberá um aparelho telefônico.

A iniciativa é realizada em parceria com a Secretaria de Saúde do DF, Instituto de Gestão Estratégica e empresas privadas, sem custo para os cofres públicos.

DADOS – No Brasil e no mundo, a maior causa de mortalidade são as doenças cardiovasculares, principalmente, o infarto agudo do miocárdio. No Brasil, em 2017, foram registrados 383.961 casos e, em 2018, mais de 400 mil, segundo dados parciais da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), que tem o registro de mortes por minuto. Neste ano de 2019, segundo o site da SBC, já ocorreram mais de 84 mil casos até esta terça-feira (19).

Atendimento à imprensa
Ascom/Iges-DF
(61) 3550-8810
imprensa@igesdf.org.br

Compartilhe esta notícia pelo:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Nossas redes:

IGESDF | SMHS - Área Especial - Quadra 101 - Brasília - DF | CEP: 70.335-900 | CNPJ: 28.481.233/0001-72