Atividades na UPA de Samambaia colocam o Setembro Amarelo em evidência


08/09/2020 - 16h47

Suicídio e cuidados com a saúde mental foram debatidos

Na manhã desta terça-feira, 08, uma ação para marcar a abertura do Setembro Amarelo foi realizada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Samambaia que é administrada pelo Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (IGESDF).

Conforme contou a gerente da unidade, Regilane Fonseca, as atividades na UPA voltadas para o tema estão sendo desenvolvidas porque a unidade recebe muitos pacientes com transtornos mentais, origem de 98% dos casos de suicídio.

“Trabalhamos integrados com a comunidade e com os outros órgãos de saúde para termos melhores resultados. Junto com nossos psicólogos, assistentes sociais e psiquiatras, tentamos evitar a formação da rede de autodestruição. Não são raras às vezes em que chega até nós uma mãe acompanhando o filho, e, depois, essa mãe se apresenta com o mesmo problema, acompanhada de outro familiar, e assim sucessivamente”, explicou Regilane.

Segundo o coordenador de enfermagem da UPA, Décio Francisco, a humanização nos atendimentos se estende, também, aos profissionais que atuam na unidade de Samambaia.

“Nossa ideia é que nossos pacientes encontrem acolhimento ao chegarem aqui e, da mesma forma, queremos oferecer isso para os colaboradores, que também sofrem impactos ao realizarem atendimentos. Com atividades como acupuntura, meditação, assistência psicológica, disponibilizados pelo IGESDF, podemos oferecer qualidade no cuidado de quem cuida”, destacou.

Para o administrador de Samambaia, Gustavo Aires, a ação é importante, pois a região possui o maior índice de suicídios dentro do Distrito Federal.

“Trabalhamos com um dado preocupante e precisamos ficar atentos. Essa parceria da administração com o IGESDF nos permite levar ainda mais informações e atendimentos para dentro da nossa comunidade”, salientou.

A superintendente das Unidades de Atenção Pré-hospitalar, Nadja Carvalho, foi enfática ao se pronunciar salientando que “a mente é um labirinto e por isso precisamos ficar alertas a todas as suas manifestações. Não apenas dos pacientes e colaboradores, mas também dentro das nossas relações familiares e pessoais”.

O diretor-presidente do IGESDF, Sergio Costa, defendeu a realização das campanhas que elegem meses específicos para o desenvolvimento de ações, porém, destaca que a preocupação deve ser frequente.

“Sabemos que o suicídio é motivo de grande inquietude entre os gestores de saúde, e nós, do IGESDF, estamos atentos e adotando procedimentos para disponibilizar os tratamentos existentes a pacientes e colaboradores. Informar e educar, esse é o caminho”, completou o presidente.

A DATA – Setembro Amarelo é o mês (de 1 a 30 de setembro) dedicado à prevenção do suicídio. Trata-se de uma campanha, que teve início no Brasil em 2015, e que visa conscientizar as pessoas sobre o suicídio, assim como evitar o seu acontecimento. É nesse mês que no dia 10 se lembra o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio.

Texto: Mara Moreira / Agência IGESDF

Fotos: Agência IGESDF