SALVAR VIDAS É O NOSSO COMPROMISSO.

Definido plano para vacinar mais de 9 mil profissionais do Iges

Força-tarefa visa garantir a proteção de milhares de profissionais que atuam no combate à pandemia da covid-19

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Marina Mercante

Com a iminência da chegada das vacinas contra a covid-19 no Distrito Federal, o Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do DF (Iges-DF) se organizou para vacinar trabalhadores que atuam no combate ao coronavírus e que não pararam suas atividades ao longo de quase um ano de pandemia.

Estão previstas quatro salas de vacinação para atender aos trabalhadores
Estão previstas quatro salas de vacinação para atender aos trabalhadores

Entre esses profissionais estão médicos, enfermeiros e pessoas responsáveis pelo transporte e alimentação de pacientes, pela limpeza dos espaços e por outras diversas funções desempenhadas para manter o atendimento nas unidades de saúde de todos os acometidos pela covid e por outras enfermidades.

O esquema de vacinação contemplará servidores, colaboradores celetistas e terceirizados, ou seja, todas as mais de 9 mil pessoas que prestam serviços nas unidades administradas pelo instituto — o Hospital de Base (HB), no Hospital de Santa Maria (HRSM) e as unidades de pronto atendimento (UPAs) de Ceilândia, do Núcleo Bandeirante, do Recanto das Emas, de Samambaia, de São Sebastião e de Sobradinho.

O imunizante a ser oferecido e a quantidade de doses serão informadas pela Secretaria de Saúde, que aguarda definições do Ministério da Saúde, responsável pela distribuição inicial. Logo após o recebimento dessas informações, o Iges-DF definirá a data de início da vacinação para seus colaboradores.

“Estamos plenamente alinhados com o Plano Nacional de Imunização e com a Secretaria de Saúde para, dentro das normas estabelecidas pelos governos, oferecer a vacinação a nossas equipes”, afirma o presidente do Iges, Paulo Ricardo Silva. “Com isso, vamos garantir a segurança de tantas pessoas que estão atuando no combate à pandemia e continuar prestando uma assistência de qualidade à população, sem interrupção dos nossos serviços”, completa.

Estrutura, horários e ordem de atendimento

Estão previstas quatro salas para atender aos trabalhadores. Uma ficará no HB, outra no HRSM e mais duas em UPAs das regiões norte e sul da cidade. As unidades de pronto atendimento que centralizarão o serviço serão definidas em breve.

No Hospital de Base, por exemplo, a gestão da unidade vai disponibilizar um espaço adequado no Pronto-Socorro, com cinco poltronas separadas por baias, de forma que cinco pessoas sejam vacinadas por vez. Assim, a capacidade diária prevista é de até 600 pessoas, sem que haja qualquer tipo de aglomeração.

O atendimento vai ser das 7h às 21h em 12 dias ininterruptos. “Os 10 primeiros dias estão reservados para servidores e colaboradores, o dia seguinte para os terceirizados, e o último dia para possíveis retardatários”, detalha Lucas Seixas, superintendente do HB.

“O horário de atendimento, a quantidade de dias da força-tarefa e a estrutura da sala de vacinação deverão ser seguidos também em Santa Maria e nas UPAs”, informa o presidente Paulo Ricardo.

> Não haverá gastos com contratações extras nem com mobiliário para as salas de vacinação

Para definir a ordem de atendimento, o quadro de pessoal será dividido em 10 grupos, o primeiro deles composto pelos funcionários com mais idade. Os demais vão incluir 10% de cada setor, para que não haja ausências em massa em uma mesma equipe em virtude de algum efeito colateral da vacina. “Essa estratégia pretende evitar que um setor fique desfalcado e o atendimento à população seja comprometido”, esclarece Lucas Seixas.

A segunda dose será aplicada entre 14 e 28 dias depois da primeira, conforme determina o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, do governo federal.

> Leia também: “A única arma contra a covid-19 é a vacina”

Por recomendação técnica, as pessoas que receberão a vacina contra o SarsCov-2 (coronavírus) não poderão ser vacinadas para outras enfermidades 30 dias antes nem 30 dias depois, evitando interações desconhecidas que ameacem a saúde delas.

Cadastro e organização

A vacinação contra a covid-19 será  individualizada, e o Ministério da Saúde exigirá cadastro de todos. Dessa forma, o Iges-DF enviará a seus colaboradores um link para acesso ao site de cadastro.

Assim que houver mais definições sobre os detalhes e os fluxos de atendimento, os trabalhadores serão informados por grupos de WhatsApp e e-mail, inclusive quanto à data e ao horário corretos para cada um se dirigir à sala de vacinação, evitando filas e aglomerações.

Logística sem gastos extras

Para ajudar na força-tarefa dos 12 dias de vacinação contra a covid e no período posterior da aplicação da segunda dose, o Iges convocará voluntários entre seus colaboradores, como médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem. Não haverá gastos com contratações extras.

Além disso, a logística para a montagem das salas de vacinação não prevê gastos com aquisição de materiais, porque tudo será aproveitado do mobiliário já existente, como geladeiras, computadores e poltronas.

Atendimento à imprensa
Ascom/Iges-DF
(61) 3550-8810
imprensa@igesdf.org.br

Compartilhe esta notícia pelo:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Nossas redes:

IGESDF | SMHS - Área Especial - Quadra 101 - Brasília - DF | CEP: 70.335-900 | CNPJ: 28.481.233/0001-72