Endocrinologista alerta para cuidados com colesterol alto

No Dia Nacional do Combate ao Colesterol, médica do Hospital de Base reforça a importância dos exames de rotina

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Thaís Umbelino

Médica do Hospital de Base, Tatiana Chiara, explica quais são as causas do aumento do colesterol

O Dia Nacional do Combate ao Colesterol, comemorado neste domingo (8), chama atenção para a importância do controle desse tipo de gordura no corpo humano, principal causadora de doenças cardiovasculares, como infartos e insuficiências cardíacas, quando em alta incidência. A endocrinologista Tatiana Chiara, endocrinologista do Hospital de Base (HB), alerta que só por meio de exames de rotina e adoção de hábitos saudáveis é possível combater os riscos do colesterol. “É importante realizar exames laboratoriais pelo menos uma vez por ano”, recomenda a médica.

O aumento do colesterol está associado ao consumo excessivo de bebidas alcoólicas, sedentarismo e alimentação rica em gorduras e açúcar. Pode estar também relacionado a fatores familiares e genéticos. Nestes casos, há aumento de gordura mesmo que a pessoas tenha hábitos alimentares saudáveis e pratique exercícios físicos regularmente. “Portanto, é muito importante detectar e prevenir desde cedo o colestero”, reforça a endocrinologista. “Um dos dos principais caminhos para evitá-lo é a conscientização”.

O colesterol segundo a Dra. Tatiana Chiara

Veja alguns esclarecimentos da endocrinologista sobre o colesterol.

O que é o colesterol e qual a importância dele no organismo humano?

– O colesterol é um tipo de gordura que circula no nosso sangue. Ele é importante para membranas celulares, além de participar na produção de hormônios, vitaminas e sais biliares. Parte do colesterol é produzida em nosso corpo e seus níveis ideais dependem de faixa etária, presença de comorbidades, história familiar.

 Quais os dos tipos de colesterol?

– Podemos classificar o colesterol em três tipos: o ideal, o superior e o indesejável. A taxa da presença da substância no corpo humano é medida em

miligrama por decilitro (m/d), a unidade de referência para medição do colesterol. Na tabela abaixo, pode-se entender melhor as taxas de referência.

 

Valores em mg/dl Colesterol total LDL (colesterol ruim) HDL (colesterol bom)
 Ideal  Menor que 200  Menor que 100  Maior que 50
 Superior Entre 200 e 240  Entre 100 e 160  Entre 35 e 49
 Indesejável  Maior que 240  Maior que 160 Menor que 35

Quando o colesterol é considerado prejudicial à saúde?

_ Quando o colesterol encontra-se acima dos valores de normalidade, ele começa a deposição de gorduras nas paredes dos vasos. Com isso, impede o fluxo normal do sangue, “entupindo” as artérias e causando aumento no risco de sofrer infarto ou AVC (Acidente vascular cerebral). Quando o indivíduo tem Diabetes e/ou Hipertensão arterial, esse risco é ainda maior.

Aumentaram as mortes por doenças cardiovasculares durante a pandemia? 

– Dados divulgados pela Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Brasil (Arpen-Brasil) mostram que houve aumento de quase 7% no número de óbitos por doenças cardiovasculares nos primeiros seis meses de 2021 em relação ao mesmo período de 2020. O aumento da incidência de óbitos nesse primeiro semestre provavelmente está relacionado ao fato de que grande parte das pessoas deixou de procurar assistência médica para consultas de rotina, em função da pandemia pelo novo coronavírus. Muitos devem ter adoecido e morrido em domicílio, sem devida notificação. Nesse semestre, começaram a procurar atendimento clínico laboratorial.

Por causa da pandemia, as pessoas relaxaram em relação a outras doenças, como o colesterol?

A Associação Brasileira de Medicina Diagnóstica (Abramed) fez um levantamento junto ao Sistema Único de Saúde (SUS), o qual mostra que a pandemia fez as pessoas negligenciam os cuidados com a saúde. Muitos deixaram de fazer exames rotineiros, inclusive o de controle do colesterol. Portanto, é importante incentivar sempre esse tipo de exame. A maior parte da população do Brasil e do mundo só buscou atendimento médico-hospitalar na presença de sintomas da covid-19, deixando de lado o controle das doenças crônicas, que não têm cura, mas necessitam seguimento constante. O colesterol alto pode ser tratado. Por isso, é fundamental manter a rotina de prevenção. Fazer exames periódicos para identificar doenças cardiovasculares provocadas pelo colesterol alto, principal causadora de infartos e insuficiências cardíacas que podem levar à morte.

Existe cura para doenças cardiovasculares?

– Quando se fala de doença cardiovascular dizemos “controle” e não, “cura”. Portanto, é muito importante detectar e prevenir desde cedo. A conscientização é um dos principais caminhos. É importante realizar exames laboratoriais pelo menos uma vez por ano.

Pelágio Gondim

Atendimento à imprensa
Ascom/Iges-DF
(61) 3550-9281
imprensa@igesdf.org.br

Compartilhe esta notícia pelo:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Nossas redes:

IGESDF | SMHS - Área Especial - Quadra 101 - Brasília - DF | CEP: 70.335-900 | CNPJ: 28.481.233/0001-72

Nossas redes:

IGESDF | SMHS - Área Especial - Quadra 101 - Brasília - DF | CEP: 70.335-900 | CNPJ: 28.481.233/0001-72