Estágio mais valorizado para o mercado


06/10/2020 - 12h21

 

Lei sancionada pelo governador Ibaneis Rocha beneficia quase 15 mil estagiários da rede pública de saúde do DF

A experiência de estagiários da rede pública ou privada de ensino na área da saúde passa a contar pontos para concursos públicos e processos eletivos realizados no Distrito Federal. A Lei n° 6.690, de autoria do deputado distrital Jorge Vianna, foi sancionada pelo governador Ibaneis Rocha e vai beneficiar cerca de 14.870 estagiários que atuam na rede pública da capital.

O gerente de educação em saúde da Secretaria de Saúde (SES), Ysday Custódio, destaca que a lei possibilita aos alunos ingresso mais rápido no mercado de trabalho. “O estágio fornece a experiência necessária para complementar a formação dos estudantes”, avalia. “É uma necessidade deles, para que conquistem o primeiro emprego ao sair da faculdade, e também social, para que haja cada vez mais profissionais atendendo a população”.

Para receber o certificado que vai comprovar as atividades desenvolvidas, o estagiário precisa estar regularmente matriculado e com frequência efetiva em curso de ensino médio ou superior da rede pública ou particular da capital. Ao final do estágio, a unidade de saúde deve fornecer documento que comprove a carga horária total, número de meses  trabalhados, atividades realizadas e desempenho do estudante.

Ysday Custódio aconselha que o aluno solicite o certificado assim que se desligar do estágio. “É obrigação da unidade de saúde emitir o documento, mas é importante que o interessado também cobre”, orienta. “Se deixar só para quando precisar, pode ser que tenha dificuldade ou não consiga a declaração”. A regulamentação com mais informações, informa, deve sair no próximo mês.

Complemento – A gerente de enfermagem do Hospital de Base (HB), Thaís Ribeiro, ressalta a importância do estágio para a formação do estudante: “É essencial para que ele identifique qual área gostaria de seguir, atuando ainda melhor. Também é no estágio que o aluno descobre as mais diversas áreas da profissão, que às vezes, na faculdade, não tem a oportunidade de experimentar”.

Ela explica que, no caso do HB, os estagiários aprendem tanto da área da saúde, quanto da administrativa. “Eles são acompanhados por profissionais desde que ingressam até o final do estágio”, informa. “Durante os atendimentos, aprendem a como receber o paciente até a última etapa do processo”.

 

Texto: Agência Brasília

Foto: Davidyson Damasceno/IGESDF