Governador inaugura no Riacho Fundo II quarta UPA prometida

Investimento foi de R$7 milhões e unidade vai atender 4,5 mil pessoas por mês

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Nesta quarta-feira (17), o governador Ibaneis Rocha entregou em pleno funcionamento à população a quarta Unidade de Pronto Atendimento (UPA) construída neste governo.  Localizada na QN 31, conjunto 3, Lote  1, do Riacho Fundo II, a estrutura  que atenderá 4,5 mil pessoas por mês é a primeira da região para os moradores. O investimento foi de R$ 7 milhões. O Instituto de Gestão Estratégica do Distrito Federal (IGESDF) que faz a gestão das obras e do funcionamento das novas UPAs.

A primeira UPA inaugurada neste governo foi em Ceilândia em 24 de setembro, a segunda no Paranoá em 18 de outubro e a terceira no Gama em 27 de  outubro. Mais três serão inauguradas em breve em Planaltina, Brazlândia e Vicente Pires, totalizando sete novas UPAs. Juntas, as sete novas UPAs, quando estiverem em pleno funcionamento, vão poder atender 31.500 pessoas por mês.

“Quando escolhemos a construção dessas sete UPA, fomos buscar os locais onde havia dificuldade de atendimento, onde as pessoas tinham que sair das suas casas e andar alguns quilômetros para ter atendimento em outras regiões”, lembrou o governador. “Por isso, fizemos essa escolha de locais de forma pensada, para criar uma base de atendimento à população”, completou Ibaneis durante a solenidade de inauguração.

O diretor-presidente do IGESDF, Gislei Morais, ressaltou que a equipe do IGESDF trabalhou muito para que essa entrega fosse feita, já que durante a pandemia houve falta de material na construção civil, o que prejudicou o andamento da obra.  “Apesar disso, com 18 meses, essa UPA não só foi construída do zero, mas foi colocada em pleno funcionamento para atender a população do DF”, disse.

Presente no evento, o secretário de Saúde do DF, general Manoel Pafiadache, ressaltou que com essas quatro UPAs somadas às seis que já funcionavam, a população passou a ter 10 estruturas desse modelo para ser atendida.  “No final do ano, chegaremos a 13 unidades, porque ainda temos mais três para entregar. Isso é um avanço muito grande porque aproxima muito a saúde da população”, disse.

Também participaram do evento o vice-governador, Paco Britto; o secretário de Governo, Humberto Pires; a administradora Regional do Riacho Fundo II, Ana Maria da Silva; o deputado distrital, João Hermeto de Oliveira Neto; entre outras autoridades.

Infraestrutura – A UPA possui uma área de 1,2 mil metros quadrados e conta com dois leitos de atendimento crítico emergencial na Sala Vermelha, seis leitos de observação e um leito de isolamento na Sala Amarela, 10 poltronas de medicação/inalação e reidratação na Sala Verde e três consultórios, além de sala para classificação de risco.

Sala Amarela da UPA Riacho Fundo II

O IGESDF equipou a unidade para realizar exames laboratoriais de urgência, eletrocardiografia e raio-X. O equipamento de raio-x e o laboratório não são obrigatório nas UPAs, conforme normatização do Ministério da Saúde. Mas o IGESDF decidiu oferecer mais esses serviços.

Aparelho de raio-x que vai auxiliar no diagnóstico dos pacientes

Atendimento – O funcionamento é diário e 24 horas. Foram contratados por processo seletivo feito pelo IGESDF 146 profissionais de saúde, entre médicos, enfermeiros, técnicos e outros colaboradores que vão atender os pacientes.

A unidade atenderá casos de urgências e emergências de clínica médica, como pressão alta, febre alta, sintomas respiratórios como falta de ar, desmaio, convulsão, diarréia aguda, infecção do trato urinário, dor abdominal de moderada a aguda e complicações cardiológicas e neurologistas, como infarto e AVC.

Os médicos prestam socorro, prescrevem medicamentos e exames e analisam se é necessário encaminhar os pacientes a um hospital, mantê-lo em observação por 24 horas ou dar alta após o atendimento.

Todas as novas UPAs também terão Sala de Ensino, onde os profissionais terão treinamentos e cursos de atualização permanentes fornecidos pela.  Além disso, os médicos da UPA também poderão contar com o suporte de médicos especialistas do Hospital de Base pela telemedicina, que é uma consultoria prestada via transmissão online, bem como com telediagnóstico em que os médicos do Hospital de Base farão os laudos dos exames de eletro. As três ações são promovidas pela DIEP.

Sala Verde da UPA do Riacho Fundo II

Novas UPAs – O IGESDF vem construindo sete UPAs. A previsão era entregar as primeiras unidades ainda no primeiro semestre deste ano. O ritmo das obras, porém, foi afetado pela pandemia do coronavírus. O GDF e o IGESDF passaram a priorizar o atendimento a pacientes contaminados pela covid-19. Os investimentos foram direcionados para contratar profissionais de saúde, montar, equipar e manter em funcionamento estruturas hospitalares para socorrer os contaminados pelo coronavírus.

O andamento das obras também foi prejudicado por problemas econômicos provocados pela pandemia, como o desabastecimento de material de construção e a grande procura por equipamentos e mobiliários hospitalares, especialmente macas e poltronas.

O avanço da vacinação, a redução da taxa de contágio e a desaceleração do número de mortes, além das medidas de flexibilização, fizeram com que as atividades produtivas fossem normalizadas. Com isso, o ritmo das obras das UPAS está sendo normalizado e as entregas estão sendo feitas.

Veja o percentual executado das obras das UPAs do IGESDF, atualizado em 9/2021:

 Ceilândia II – Entregue

Paranoá – Entregue

Gama  – Entregue

Riacho Fundo II – Entregue

Planaltina – 90,61%

Brazlândia – 75,75%

Vicente Pires – 74%

Capacidade – As sete novas UPAs do IGESDF seguem o modelo Porte I – Opção 3. Cada unidade nesse modelo tem o seguinte padrão:

Área Construída: 1.200 m²

Capacidade de Atendimento/mês: 4.500 pessoas.

Sala Verde: 10 poltronas de medicação.

Sala Amarela: 6 leitos de observação e 1 leito de isolamento

Sala Vermelha: 2 leitos de atendimento crítico emergencial

Consultórios: 3

Área de classificação de risco: 1

 

 

Reportagem: Ailane Silva

Atendimento à imprensa
Ascom/IGESDF
(61) 3550-9281
imprensa@igesdf.org.br

Compartilhe esta notícia pelo:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Nossas redes:

IGESDF | SMHS - Área Especial - Quadra 101 - Brasília - DF | CEP: 70.335-900 | CNPJ: 28.481.233/0001-72