Governador visita obras das UPAs de Ceilândia e Brazlândia


23/05/2020 - 12h36

Foto: Davidyson Damasceno/IGESDF

No total, sete UPAs serão entregues à população do DF, um investimento de R$ 28,1 milhões

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, visitou as obras das Unidades de Pronto Atendimento (UPA) de Ceilândia e Brazlândia, na manhã deste sábado (23). Nos dois canteiros que medem aproximadamente 1,2 mil metros quadrados, máquinas e funcionários estão atuando a todo vapor para erguer, até o final deste ano, as estruturas que vão atender até 4,5 mil pessoas cada por mês.

O chefe do Executivo estava acompanhado do secretário de Saúde do DF, Francisco Araújo, do diretor-presidente do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do DF (IGESDF), Sergio Costa, do secretário de Governo, José Humberto, do secretário de Estado-chefe da Casa Civil, Valdetário Monteiro, entre outras autoridades.

No total, sete UPAs com a mesma capacidade de atendimento começaram a ser construídas simultaneamente no Distrito Federal para reforçar o atendimento à população do Distrito Federal, totalizando 31,5 mil atendimentos mensais nas sete unidades. Elas estão localizadas no Paranoá, Riacho Fundo II, Gama, Ceilândia, Vicente Pires e Planaltina. O investimento é de R$ 28,1 milhões e a ordem de serviço para iniciar as obras foi assinada há pouco mais de um mês.

Foto: Davidyson Damasceno/IGESDF

“Nós havíamos anunciado ainda no ano passado a construção de sete UPAs no Distrito Federal. Conseguimos concluir a licitação superando todas as etapas de forma legal. A obra foi iniciada e a fundação já está pronta. A engenheira está acompanhando e esperamos entregar até dezembro. Essa é mais uma obra do GDF mesmo em tempos de pandemia”, ressaltou o governador, que quer entregar a rede de saúde em condições muito melhores do que as encontradas no início da gestão.

“As UPAs são importantes porque são portas de entrada de urgência e emergência com assistência qualificada. A proposta do instituto é construir sete novas unidades para preencher vazios assistenciais, ou seja, atender locais que não contam com esses equipamentos. No caso de Ceilândia, que tem densidade populacional muito grande, estamos construindo outra unidade”, reforçou Sergio Costa.

 

Segundo ele, a construção das UPAs é uma das principais metas do IGESDF, que já administra o Hospital de Base, Hospital Regional de Santa Maria (HRSM) e as seis UPAs já em funcionamento no DF, que ficam em Ceilândia, Samambaia, Recanto das Emas, Sobradinho, Núcleo Bandeirante e São Sebastião.
“Graças ao modelo de gestão do IGESDF, teremos esse ano mais sete novas UPAs, cumprindo mais uma meta estabelecida no plano de gestão e atendendo a determinação do Governador de investir cada vez mais na Saúde para a população do Distrito Federal”, completou o secretário de Saúde.

Foto: Breno Esaki/Agência Saúde

ESTRUTURA – Juntas, as novas UPAs somam mais 42 leitos de observação, 14 de emergência e sete isolamentos. Cada uma terá de dois a três médicos durante o dia e a noite, totalizando cinco profissionais por dia.

O espaço contempla uma área para classificação de risco e primeiro atendimento, três consultórios, duas salas de urgência, seis de observação e um isolamento. Também há área destinada para nove poltronas de medicação, reidratação e inalação. Para reforçar essa estrutura, o IGESDF vai aplicar R$ 7 milhões na compra de equipamentos médico-hospitalares.
Confira o endereço das novas UPAs:
– Brazlândia (Vila São José, Q 37, AE 1, Posto de Saúde)
– Paranoá (Paranoá Parque Quadra Comercial 1 AE 4 EPC)
– Gama (Setor de Indústria QI 7, Área Reservada 2)
– Ceilândia (Expansão do Setor O, QNO 21, AE D)
– Vicente Pires (Rua 10 Qd 4D Chácara 135)
– Riacho Fundo II (QN 31 Conjunto 3 Lote 1)
– Planaltina (Setor Habitacional Mestre D’armas, Q 23 MD 2 Lt 1

Texto: Ailane Silva/IGESDF