Hospital de Base distribui produtos para reabilitar amputados

Mês é dedicado à conscientização da amputação para ajudar pacientes com suas atividades mesmo usando próteses

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Ascom Iges-DF

Foto de arquivo

Com a distribuição de 40 kits de produtos terapêuticos, o Hospital de Base aderiu à campanha Abril Laranja, mês da conscientização da amputação e que foi introduzida no Brasil no ano passado para fortalecer o tratamento de pessoas amputadas e o processo de reabilitação desses pacientes.

Os produtos foram entregues pelo Ambulatório de Reabilitação de Amputados do HB, unidade administrada pelo Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (IGESDF). O kit é composto por produtos fundamentais na reabilitação de pacientes que tiveram membros amputados, como óleos medicinais e faixas elásticas utilizadas em exercícios terapêuticos.

Além dos produtos, os pacientes são orientados a lidar física e psicologicamente com a perda do membro amputado. Além disso, recebem lições sobre os exercícios fisioterápicos que ajudam na reabilitação e que podem ser feitos em casa.

Foto de Arquivo
Segundo Ronara o objetivo da campanha é melhorar a qualidade de vida dos pacientes

A campanha busca ajudar o paciente amputado a dar um novo sentido às atividades do cotidiano após a perda de um membro. “Tentamos abordar formas e estratégias de como eles devem ressignificar suas atividades, buscando melhorar a qualidade de vida por meio de assistência multidisciplinar”, explica a fisioterapeuta Ronara Mangaravite.

“Essa iniciativa é muito importante, porque no Hospital de Base recebemos pessoas com várias comorbidades ou vítimas de trauma que resultam na necessidade de amputação para a preservação da vida”.

Segundo a fisioterapeuta, abordar esse tema também ajuda a prevenir a amputação, que pode ocorrer por várias causas, como problemas vasculares, traumáticos, tumorais e infecciosos. “A falta de informação sobre a possibilidade da perda de um membro devido a esses fatores impede o paciente de procurar a ajuda adequada”, ressalta.

Tratamento fisioterapêutico

O especialista em Anatomia Humana e Biomecânica, Paulo Cesar Nunes Junior, da Universidade Estácio de Sá (RJ), ensina que a amputação é a perda total ou parcial de um membro e geralmente é relacionada à mutilação, incapacidade e dependência. Para recompor o membro perdido, recorre-se à prótese. Porém, antes dela, é preciso que o paciente passe por um período de preparação, no qual é fundamental a participação de uma equipe multidisciplinar.

A aplicação de procedimentos fisioterapêuticos, conforme Paulo Nunes, interfere diretamente no resultado final da reabilitação. Dentro desse tratamento destaca-se a fase pré-protetização, “pois prepara o paciente e seu membro residual para estar apto a receber a prótese”.

Atualmente, 110 pacientes com próteses e amputados em fase pré-protetização estão sendo atendidos no Ambulatório de Reabilitação de Amputados do HB. Pelo menos uma vez por mês, cada paciente tem consulta com a equipe de reabilitação.

Para participar do programa de reabilitação do HB, o paciente precisa ser encaminhado por qualquer profissional do próprio Hospital de Base. Ele deve se cadastrar na secretaria do Serviço de Saúde Funcional do HB, que fica ao lado do Pronto-Socorro, de segunda à sexta-feira, das 7h às 12h e de 13h às 18h. O telefone para contato é o (61) 3550-8900, ramal 9119.

Atendimento à imprensa
Ascom/Iges-DF
(61) 3550-8810
imprensa@igesdf.org.br

Compartilhe esta notícia pelo:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Nossas redes:

IGESDF | SMHS - Área Especial - Quadra 101 - Brasília - DF | CEP: 70.335-900 | CNPJ: 28.481.233/0001-72

Nossas redes:

IGESDF | SMHS - Área Especial - Quadra 101 - Brasília - DF | CEP: 70.335-900 | CNPJ: 28.481.233/0001-72