Hospital de Base leva informações médicas a várias cidades do Brasil


25/06/2020 - 09h42

Objetivo é treinar profissionais das Unidades Básicas de Saúde que atendem pacientes com a Covid-19 – 

O Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (IGESDF) está participando do projeto Guia Existencial Para Enfrentamento da Pandemia na Atenção Primária à Saúde, que vai levar informações aos profissionais que prestam atendimento à pacientes com Covid-19 nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs), em vários lugares do Brasil.

O Hospital de Base (HB) participa desse projeto pela atuação do cardiologista José Antonio (foto) em uma videoaula sobre ressuscitação cardiopulmonar em pacientes confirmados ou suspeitos de Covid-19.

“É importante levar o máximo de informações a todos os profissionais que atendem aos usuários do SUS. Desde os municípios mais distantes até as zonas rurais, aldeias indígenas, onde tiver uma Unidade Básica de Saúde funcionando. Ninguém escolhe onde vai enfrentar uma situação grave, é melhor estarem todos preparados”, ressaltou o cardiologista.

O projeto, realizado pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e pelo Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), está atualizando os protocolos que foram modificados pela Sociedade Brasileira de Cardiologia com a chegada do Coronavírus.

José Antonio lembra que por ser a Covid-19 uma doença nova, todos os treinamentos são atualizados constantemente. “Além disso, uma das nossas grandes preocupações é com a desparamentação, ou seja, a retirada dos equipamentos individuais de proteção quando termina um atendimento, pois é quando tem acontecido o maior número de contágio de profissionais de saúde. Por isso, os treinamentos constantes são necessários”, diz o cardiologista.

O diretor-presidente do IGESDF, Sergio Costa, destaca “a importância que o instituto tem dado à formação dos profissionais de saúde e a preocupação com a qualidade das  informações que são repassadas internamente e divulgadas para o público externo. Tudo isso é determinante para uma prestação de serviço com mais qualidade e humanizado, num momento tão crítico como esse que estamos vivendo com a pandemia”.

Ele lembra que, há cerca de dois meses, “criamos uma plataforma EaD, aberta ao público, com informações  precisas e de qualidade, além de constantemente atualizadas, o que nos permite atender a população de forma eficaz e efetiva”.

 

Texto: Mara Moreira/IGESDF

Fotos; Davidyson Damasceno/IGESDF