Hospital de Base vai operar até 70 mulheres com câncer em força-tarefa


13/08/2020 - 17h29

Pacientes contempladas têm tumores ginecológicos e de mama

Aproximadamente 70 mulheres com câncer serão operadas no Hospital de Base (HB) em uma nova força-tarefa de cirurgia que vai até o final da próxima semana. Com a ação, serão beneficiadas 100% das pacientes em tratamento neoadjuvante, ou seja, em quimioterapia e radioterapia para redução do câncer, o que aumenta as chances de cura.

“Estamos trabalhando incansavelmente para atender todos os pacientes e concentrando esforços para fazer essas cirurgias, sem deixar de lado aqueles que precisam de assistência em razão da  covid-19. Estamos fortalecendo todos os nossos serviços e tenho certeza de que vamos sair dessa pandemia muito melhores”, ressaltou o diretor-presidente do IGESDF, Sergio Costa.

“Foram chamadas todas as pacientes que estão dentro desse perfil para operar. Elas fazem parte de uma janela em que é passível o tratamento cirúrgico, antes que a doença evolua, dificultando o tratamento”, explicou o gerente geral de assistência do HB, Lucas Seixas.

As cirurgias foram planejadas em conjunto com a equipe de profissionais que atuam na mastologia e ginecologia oncológica. Os procedimentos ocorrem de segunda a domingo, atendendo aproximadamente 35 pacientes semanalmente.

“Na primeira semana, vamos fazer mastectomia em mulheres com câncer de mama. Na segunda semana, serão as pacientes da especialidade de ginecologia oncológica”, ressaltou.
Após as cirurgias, o Hospital de Base atuará para fazer a desospitalização desses pacientes, dando continuidade as ações para atingir também pacientes com outras patologias.

“Queremos atender, principalmente, as patologias oncológicas, porque saíram de foco em virtude da pandemia, mas que continuam existindo e acometendo muitos pacientes que necessitam da nossa ajuda”, informou.

Serão mais de 30 médicos envolvidos, além da equipe de enfermagem, da farmácia, do centro de material esterelizável e da mobilidade. “É preciso desenvolver um esquema de logística dentro do hospital, bem como pelo Complexo Regulador da Secretaria de Saúde do DF, que regula as filas de pacientes”, concluiu.

“A gente sabe que ações como essa para mulheres que estão passando pelo câncer ginecológico e de mama são de grande importância. Com a descoberta do câncer vem a angústia de pensar que a cada dia o tumor está crescendo mais. Para elas, é um grande alívio o tratamento, porque quanto mais cedo forem submetidas, mais cedo vem a cura”, disse a coordenadora da Rede Feminina de Combate ao Câncer, Vera Lúcia.

FORÇA-TAREFA CONTÍNUA – As ações de força-tarefa adotadas pelo Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (IGESDF) serão realizadas até dezembro. A ação que já beneficiou aproximadamente 200 pacientes já aconteceu, com grande sucesso, na Hemodinâmica, Urologia e Ortopedia e faz parte da estratégia de desospitalização de pacientes que aguardam procedimentos cirúrgicos no Hospital de Base (HB), Hospital Regional de Taguatinga (HRT) e em outras unidades da rede pública de saúde.

Dessa forma, os pacientes internados atendidos podem receber alta diminuindo o risco de contaminação pela covid-19.

Texto: Ailane Silva/IGESDF

Fotos: Davidyson Damasceno/IGESDF