Hospital de Santa Maria abre 40 leitos de UTI para tratamento de Covid-19


06/04/2020 - 15h11

No total, a unidade abrirá 120 leitos de UTI com suporte ventilatório e 16 de retaguarda com oxigênio

 

O Hospital Regional de Santa Maria (HRSM) terá 136 leitos para Covid-19. Nesta segunda-feira (6), os 40 primeiros foram abertos no quinto andar, sendo todos de UTI com ventiladores, pelo Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do DF (IGESDF). Outros 70 do mesmo tipo serão instalados no primeiro andar, além de 26 divididos entre 10 de UTI com respiradores e 16 de retaguarda com oxigênio em parte do ambulatório, que começará a funcionar, em breve, como pronto-socorro para coronavírus.

 

O anúncio da abertura dos leitos foi feito durante visita técnica no local feita pelo diretor-presidente do IGESDF, Sérgio Costa, e do secretário de Saúde, Francisco Araújo. Em conjunto com a abertura do pronto-socorro, foi montada uma tenda de triagem para pacientes com suspeita de Covid-19 que será ativada. A estrutura tem 200 metros quadrados e conta com um consultório e duas salas de triagem. Ao lado, foram instalados dois sanitários com rede de água e esgoto, que vão passar por higienização a cada 15 minutos.

 

“Nós temos um plano de contingência e temos feito o processo de implantação desse plano considerando o número e evolução de casos. Aqui, em Santa Maria, já temos os leitos implantados para a população que precisa de suporte ventilatório. Hoje são 40 leitos disponíveis”, descreveu o diretor-presidente do IGESDF, Sérgio Costa.

“Abrir cada leito de UTI com suporte ventilatório é uma grande vitória porque se a população vir a precisar, nós estamos prontos”, complementou o secretário de Saúde. Ele frisou que há ações muito importantes no processo de combate ao novo coronavírus.

“A primeira é a população fazer a parte dele, manter o isolamento, manter essas medidas de contenção. Se o governador Ibaneis Rocha não tivesse saído na frente com as ações, hoje a gente estaria realmente numa situação muito complicado”, disse.

 

 

CUIDADOS – Todas as áreas onde funcionará o atendimento para Covid-19 foram isoladas para garantir que não ocorra a contaminação, bem como contarão com o monitoramento 24 horas de vigilantes e elevadores restritos. Em alguns pontos, as portas terão abertura automática para diminuir ainda mais a chance de transmissão do vírus.

Os profissionais de saúde que estão na linha de frente, além de receber todo o suporte necessário como equipamentos de proteção, terão acesso a uma área de paramentação e desparamentação, refeitório e armários, em área limpa e isolada.

 

As medidas tomadas pelo IGESDF começaram antes de a doença chegar ao Brasil. Foram feitas palestras para profissionais de saúde que foram transmitidas ao vivo. Em março, foi montado um posto rápido para atender casos de Covid-19 ao lado da UPA do Núcleo Bandeirante. Neste mês, o Hospital de Base também passou por uma série de adequações para atender pacientes diagnosticados com o novo coronavírus imunodeprimidos.

 

Texto: Ailane Silva/IGESDF

Fotos: Davidyson Damasceno/ASCOM IGESDF