Hospital de Santa Maria incentiva amamentação durante Agosto Dourado


03/08/2020 - 16h36

Profissionais de saúde entregaram folders sobre o assunto e falaram da importância

Com um saldo de aproximadamente 350 partos mensais e referência em UTI neonatal, o Hospital Regional de Santa Maria (HRSM) fez a abertura da programação do Agosto Dourado, uma campanha realizada mundialmente que tem como objetivo incentivar ao aleitamento materno.

Neste ano, a campanha que é realizada por mais de 120 países tem como lema “Apoie o aleitamento materno por um planeta saudável”. No HRSM, o lançamento da programação ocorreu com distribuição de folders, entrega de laços dourados representando a data e orientações sobre a importância.

“O leite materno carrega os anticorpos da mãe que o protegem contra doenças como, diarréia e infecções, principalmente respiratórias. Além disso, diminui o risco de asma, diabetes e obesidade, mesmo depois que eles param de mamar”, explicou a enfermeira responsável pelo Banco de Leite do HRSM, Terjane Machado.

Segundo ela, a amamentação também contribui para o desenvolvimento da face da criança devido ao movimento de sucção, e também para que ela tenha dentes fortes, desenvolva a fala e tenha uma boa respiração.

“A orientação é de que a amamentação, que também aumenta o vínculo entre a mãe e bebê, seja feita exclusivamente até os seis primeiros meses e complementar até os dois anos de vida”, complementou.

O HRSM possui 51 leitos de alojamento conjunto na maternidade, 15 leitos de cuidados intermediários, 20 leitos na UTI neonatal e o Banco de Leite realiza em torno de mil atendimentos relacionados a assistência à amamentação.

Apesar de ser mãe de primeira viagem, a mãe Brenda dos Santos, 22 anos, sabe da importância da amamentação. “Meu bebê nasceu prematuro, com 28 semanas de gestão, pesando 950 gramas. Só nesta semana comecei a amamentar meu filho e sei que é muito maravilhoso. É o momento em que mais a mãe e o bebê tem contato”, disse.

A jovem é mãe de Bruno Lourenzo Cardoso da Silva, que completou dois meses e já está sendo amamentado. “Enquanto não podia amamentar diretamente meu filho, eu doava meu leite. Sei que muitas crianças precisam”, disse, ao contabilizar que Bruno já está com quase dois quilos e em breve deve ir para casa.

 

Texto: Ailane Silva/IGESDF
Fotos: Davidyson Damasceno/IGESDF