IGESDF celebra Dia Nacional da Saúde com investimentos na saúde pública do DF


05/08/2020 - 16h28

Novo modelo de gestão foi criado para oferecer apoio à rede com atendimento de qualidade para a população

Na data em que é celebrado o Dia Nacional da Saúde, o Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (IGESDF), instituído há um ano e meio, já tem uma história de sucesso na capital federal e se apresenta como uma nova solução para a saúde pública do DF.

Considerado uma das maiores inovações em gestão hospitalar pública do Brasil, o IGESDF foi criado com a aprovação do projeto de lei Nº 1/2019, enviado pelo governador Ibaneis Rocha à Câmara Legislativa do DF (CLDF).

Votado e aprovado em 24 de janeiro de 2019, o texto foi sancionado com a Lei Nº 6.270, de 30 de janeiro de 2019, incluindo além do Hospital de Base (HB), o Hospital Regional de Santa Maria (HRSM) e as seis Unidades de Pronto Atendimento (UPAs). Em 27 de maio de 2019, foi celebrado o Terceiro Termo Aditivo ao Contrato de Gestão N° 1/2018, com a Secretaria de Saúde do DF, transferindo toda a gestão.

Para o diretor-presidente do IGESDF, Sergio Luiz da Costa, com atendimentos ambulatoriais, procedimentos com finalidade diagnóstica, consultas, cirurgias, acolhimento, atendimento em radio e quimioterapia, as unidades de saúde do IGESDF se mostram um complexo de excelência no DF.

“Já estando inserido no contexto histórico de Brasília, o IGESDF tem desempenhado seu trabalho com seriedade e qualidade para que a população tenha o sistema de saúde que merece”, destaca.

Ao longo desse tempo de existência, o IGESDF investiu cerca de R$ 40 milhões em infraestrutura. Obras e reformas foram iniciadas culminando na instalação de aparelhos como o PET-CT e reativação de andares e salas cirúrgicas no Hospital de Base.

Os investimentos tecnológicos também têm espaço, assim como a aquisição e manutenção de equipamentos e a renovação dos mobiliários a fim de que colaboradores e pacientes contem com espaços adequados para trabalhar e receber atendimento. Para isso, a soma de investimentos chega a R$ 11, 1 milhões.

Entre outras ações, o IGESDF também disponibilizou uma sala exclusiva para ortopedia no HB, salas de cirurgia eletivas aos sábados, criação de enfermaria específica para pacientes oncológicos, abertura de novos leitos no HB, HRSM e UPA de Sobradinho e lançamento do Projeto Humanizar com 100 monitores para acolher os pacientes.

Um grande marco também foi a retomada das cirurgias cardíacas de peito aberto no HB e a ampliação do serviço de uma empresa especializada em radiologia do HB para UPAs e HRSM. Também foi implantado um novo sistema de gestão hospitalar para otimizar os recursos e dar ainda mais transparência e celeridade aos processos.

Ademais, as forças-tarefas de cirurgias que estão sendo realizadas no Hospital de Base e somam cerca de 200 procedimentos até aqui, demonstram o respeito pelos pacientes atendidos pelo IGESDF. A fim de desospitalizar o maior número de internados que aguardam pelas operações, as ações, desenvolvidas em parceria com a Secretaria de Saúde, têm contado com o apoio das equipes e devem ser realizadas até o mês de dezembro nas mais variadas especialidades.

RESPONSABILIDADE COM A COMUNIDADE – A atuação do IGESDF não se limita apenas ao atendimento de quem chega até suas unidades. A importância de ações para o combate de doenças que acometem a população é levada em conta pelo instituto. Prova disso, são as campanhas desenvolvidas pelo IGESDF como as revistas produzidas e doadas para a Secretaria de Educação no sentido de auxiliar na prevenção da dengue. Já para o atendimento de pacientes com sintomas da doença, as UPAs se colocaram como referência atendendo 15,5 mil pessoas.

ENFRENTAMENTO À COVID-19 – O IGESDF também desempenha papel fundamental no momento em que o mundo enfrenta a pandemia do novo coronavírus. Além da abertura de 248 leitos de UTI para atendimento de pessoas diagnosticadas com a covid-19 e mais 114 leitos de retaguarda distribuídos nas UPAs, Hospital de Base e Hospital de Santa Maria, o instituto, em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde (SES) e Ministério da Saúde (MS) fez a instalação de tendas para receber pacientes com sintomas respiratórios.

Além disso, o IGESDF faz parte do Projeto Lean nas Emergências, grupo criado para traçar ações estratégicas relativas à covid-19 com orientação do Ministério da Saúde e Hospital Sírio-Libanês. As articulações estão sendo desenvolvidas para aumentar a capacidade de resposta de atendimento à população com foco no novo coronavírus e aperfeiçoamento de processos de trabalho e fluxos, principalmente nas portas de entradas de urgência e emergência voltadas para a covid-19, e também para os demais atendimentos após a pandemia ser sanada.

CIÊNCIA E PESQUISA – Com uma visão de futuro, o IGESDF também tem investido no campo do ensino e pesquisa, que enumerados em sua visão institucional, têm elevado seu patamar no instituto. O número médio de publicações teve um aumento de 28% e a realização de pesquisas científicas também não tem ficado para trás. Merece destaque a implantação do Programa de Iniciação Científica, que tem por objetivo despertar o desenvolvimento científico em estudantes de graduação e pós-graduação, contribuindo para a formação de profissionais de saúde para a sociedade.

Em 2020, foi aprovada a Política de Pesquisa do IGESDF, além disso, um novo acervo de livros com 149 títulos e 189 exemplares, bem como uma plataforma de Educação à Distância (EAD) foram inaugurados na Biblioteca do Hospital de Base (HB). Os livros são especializados e compõem, também, a biblioteca do Hospital Regional de Santa Maria (HRSM).

O Centro de Simulação realística no HRSM e os espaços de Ensino Digital criados nas UPAs de Sobradinho e Ceilândia fazem parte do rol de investimentos feitos pelo IGESDF na área.

DIA NACIONAL DA SAÚDE – O Dia Nacional da Saúde, comemorado em 5 de agosto, foi escolhido em homenagem ao médico e cientista Oswaldo Gonçalves Cruz, por sua grande preocupação com a saúde pública, educação sanitária e, principalmente, no combate às doenças transmissíveis. Este ano, é o primeiro, desde a criação da data, que o Brasil celebra o dia em meio à uma pandemia mundial.

 

Texto: Leilane Oliveira / Agência IGESDF

Fotos: Davidyson Damasceno / Agência IGESDF