IGESDF faz troca de chaminé da caldeira do Hospital de Base


20/04/2020 - 09h31

Estrutura recebeu manutenção para evitar propagação de CO2

Em processo contínuo de modernização de suas unidades, o Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (IGESDF) fez a troca da chaminé da caldeira do Hospital de Base (HB) para evitar a propagação de CO2.

De acordo com o engenheiro mecânico responsável técnico pelo serviço, Maurício Amorim de Oliveira, a realização da manutenção da chaminé é vital para o bom funcionamento do equipamento que mede quase quatro metros de altura e fica instalado acima da caldeira.

“Quando uma chaminé entra em processo de deterioração diminui o sistema de filtragem e lança gases mais densos e mais poluidores na atmosfera, pois perde a capacidade de filtrar os poluentes”, explicou.

Maurício salientou que uma das principais atividades da caldeira do HB é o aquecimento da água que abastece os chuveiros da internação.

“Além da possibilidade de banhos quentes sem o consumo de energia elétrica, o que gera economia para o instituto, a caldeira também abastece o refeitório para a limpeza de utensílios de cozinha, a Central de Material Esterilizado (CME), as Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) e o Centro Cirúrgico”, destacou.

O diretor-presidente do IGESDF, Sérgio Costa, salientou que a responsabilidade e atenção com o funcionamento da caldeira é permanente no HB, uma vez que ela está instalada dentro de área urbana. Isso significa cuidado diário para que não haja emissão de gases tóxicos na atmosfera.

“A fumaça branca gerada pela chaminé não polui o meio ambiente exatamente pela nossa determinação em fazer uma manutenção frequente nesse equipamento que mantém a água a uma temperatura média de 54 graus, garantindo qualidade na realização dos serviços e banho quente e confortável para todos os pacientes”, finalizou.

 

 

Texto: Mara Moreira/Ascom IGESDF

Fotos: Davidyson Damasceno/Ascom IGESDF