IGESDF inaugura Central de Comando para monitorar hospitais e UPAs


12/08/2020 - 13h04

Estrutura que mostra dados em tempo real recebeu aproximadamente R$3 milhões em investimento

Com uma estrutura de tecnologia avançada composta por um telão, duas telas menores e seis computadores, a Central de Comando do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (IGESDF) foi inaugurada nesta quarta-feira (12). A infraestrutura tecnológica que teve um investimento de R$ 2.984 milhões vai permitir o monitoramento, em tempo real, das unidades administradas pelo instituto, que são o Hospital de Base (HB), Hospital Regional de Santa Maria (HRSM) e as seis Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

A inovação permitirá monitorar mais de 200 indicadores em painéis, entre eles, taxa de ocupação de leitos de UTI e de enfermaria, produtividade dos profissionais, quantidade de internados, serviços ambulatoriais e dados de atendimentos como consultas. É possível, por exemplo, alertar um gestor a respeito de pacientes com permanência acima do previsto, pacientes sem prescrição e, inclusive, pacientes com riscos assistenciais. Na infinidade de indicadores, o gestor também terá alertas sobre faturamento, ciclo financeiro, suprimentos e outros que promovam mais segurança e qualidade em saúde.

“Essa é uma solução tecnológica que vai permitir ao instituto fazer o acompanhamento sistemático, monitoramento e um conjunto de ações que serão executadas pelas unidades. Nesse sentido, são indicadores técnicos, táticos e operacionais, usados para avaliar como estão as ações e indicando quando é necessário intervir, adotando medidas rápidas e necessárias para elevar a qualidade do atendimento”, ressaltou o diretor-presidente do IGESDF, Sergio Costa.

Durante a pandemia, o diretor-presidente ressaltou ainda que a iniciativa contribuirá para fortalecer o monitoramento das ações voltadas para atender pacientes com a covid-19, como altas, ocupação de leitos e recuperação de pacientes, mortalidade e tempo de internação, análise feita por um conjunto de especialistas.

O secretário de Saúde do DF, Francisco Araújo, ressaltou que o instituto e a secretaria estão constantemente em busca de soluções tecnológicas para produzir mais resultados para a população. “Precisamos fazer a comunicação com a população, informatizar e expandir o modelo de gestão. Então, isso faz parte do processo de expansão que tem avançado em várias áreas. E, com a pandemia, precisamos dar respostas mais rápidas”, concluiu.

ESTRUTURA – A solução tecnológica que conta com um vídeowall com seis telas, seis profissionais capacitados do IGESDF, seis computadores, duas telas para estudo de casos. O vídeowall é uma tecnologia que consiste em uma rede de telas digitais gerenciadas de forma centralizada e programáveis para exibir informações por intermédio de painéis de gestão de todas as unidades administradas pelo IGESDF.

TREINAMENTO – No total, até 50 colaboradores serão treinados para monitorar eventos e indicadores de gestão, operar equipamentos, sendo que seis colaboradores fazem parte da Gerência de Resultados e serão treinados durante uma semana, por 20 horas. Os outros 44 receberão duas horas de capacitação. A capacitação começa nesta quarta-feira (12).

FUNCIONAMENTO – A estrutura faz parte do mais inovador suporte de gestão em Saúde. Com o uso de tecnologia baseada em algoritmos e inteligência robotizada que se comunica com sistemas de gestão (ERP – Enterprise Resource Planning), uma equipe de médicos, enfermeiros, farmacêuticos, bioquímicos e especialistas em TI, faturamento, finanças e contabilidade estará à frente de uma grande central de informações.

A partir do monitoramento em tempo real das rotinas operacionais, a Central de Comando identifica os desvios dos padrões previamente estabelecidos e realiza a comunicação imediata da ocorrência para que haja as correções necessárias. O acompanhamento dos processos ocorre dentro da produtividade, do volume, do investimento e da qualidade.

Texto: Ailane Silva/IGESDF

Fotos: Davidyson Damasceno/IGESDF