IGESDF recomenda reforço entre colaboradores na prevenção à Covid-19

O objetivo é minimizar a infecção entre os profissionais diante do crescimento do número de infectados no D

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Nesta quinta-feira (26), o diretor de Atenção à Saúde do IGESDF, Nestor Miranda, reuniu os colaboradores que atuam no PO 700 para reforçar as recomendações de prevenção à covid-19, em razão da tendência de crescimento da transmissão da doença. “Vamos voltar a usar máscara no IGESDF, porque houve um aumento de casos no DF, apesar de serem mais leves. Vacinem-se. Usem máscara. Voltem a se preocupar”, recomendou o gestor em uma fala dirigida aos profissionais.

Nestor destacou a preocupação da diretoria com os trabalhadores. “Estamos monitorando os dados e atuando preventivamente para proteger nossos colaboradores. Por isso, além de usar a máscara aqui, recomenda-se o uso no transporte coletivo, em locais com aglomeração. Se estiverem na rua e não encontrarem local para lavar as mãos, usem o álcool em gel”, pontuou.

O gestor orientou que em caso de sintomas da doença, é necessário procurar atendimento em uma das 13 Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), que estão abastecidas com testes rápidos.

Todas as recomendações serão disponibilizadas em breve aos colaboradores por intermédio de um documento que já está sendo elaborado pela Diase.

OUTRAS DOENÇAS – O DF está no período de sazonalidade das doenças respiratórias, que também afeta crianças de forma acentuada. Com isso, o diretor de Atenção à Saúde esclareceu que a adoção de medidas de prevenção ao coronavírus evita a disseminação não só da covid-19, mas também de outros vírus como os que causam gripe. Os principais geradores das doenças sazonais são os vírus do tipo sincicial respiratório (VSR), influenza A e B, Parainfluenza e Adenovírus.

Para prevenir infecções respiratórias, além do uso da máscara e higiene das mãos, é necessário vacinar para a gripe, aumentar a ingestão de água para maior hidratação do corpo; evitar aglomerações e ambientes fechados, onde há maior propagação de vírus e bactérias; manter os ambientes ventilados; e evitar contato com pessoas que apresentem sintomas respiratórios.

Por último, o diretor citou que também há aumento de casos no DF de dengue. “Pneus descobertos, carcaça de carro, lixo acumulado, terrenos com mato alto, tudo isso contribui para acumular água parada e, assim, transforma-se em criadouro do mosquito da dengue. Então, vamos cuidar das nossas casas e dos ambientes em que vivemos”, finalizou o gestor.

Reportagem: Ailane Silva

Edição: Renata Nandes

Atendimento à imprensa
Ascom/IGESDF
(61) 3550-9281
imprensa@igesdf.org.br

Compartilhe esta notícia pelo:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Nossas redes:

IGESDF | SMHS - Área Especial - Quadra 101 - Brasília - DF | CEP: 70.335-900 | CNPJ: 28.481.233/0001-72

Nossas redes:

IGESDF | SMHS - Área Especial - Quadra 101 - Brasília - DF | CEP: 70.335-900 | CNPJ: 28.481.233/0001-72