Instituto lança o Acolhe IGESDF para cuidar da saúde dos colaboradores


29/06/2020 - 17h06

O programa dará suporte emocional para reduzir o estresse nesse período de pandemia

Para promover o bem-estar e manter a saúde mental dos colaboradores nesse período de pandemia, o Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (IGESDF) está implementando, em todas as unidades de saúde, o programa Acolhe IGESDF. O projeto inclui Acupuntura, Nutrição, Psicologia e Meditação para os profissionais.

Realizado pela gerencia de Saúde, Segurança e Qualidade de Vida no Trabalho em parceria com o Serviço Auxiliar de Voluntários (SAV) que atua no Hospital de Base, o projeto já foi realizado nas UPAS do Núcleo Bandeirante, Ceilândia, São Sebastião e agora acontece em Sobradinho.

Segundo Fábio Soares, analista de Gestão de Pessoas e responsável pela execução do programa, essa é uma ação de emergência, para esse momento crítico da covid-19

“Nossa ideia visa uma descompressão de tensões, tratando o indivíduo como um todo e inclui, inclusive, oficinas de bons hábitos alimentares”, explica Fábio.

Para a presidente do SAV, Dafne Aben-Athar Kipman “a meditação foi incluída no projeto porque existem estudos científicos que comprovam sua eficácia na redução do estresse, da ansiedade , e na atividade da amígdala, pacificando as emoções”.

Para quem recebe a atenção, os benefícios são comprovados, conforme relata a técnica em enfermagem da UPA de Sobradinho, Claudia Cristina.

“A acupuntura vai aliviar as dores de cabeça constantes que sinto. Estou muito satisfeita com esse atendimento”, destaca.

Para o diretor-presidente do IGESDF, a ideia da abordagem da saúde física e psíquica é uma forma de oferecer equilíbrio emocional para os colaboradores.

“Aliviando o estresse e a ansiedade dos nossos colaboradores é uma forma que temos de oferecer, também, um atendimento de qualidade aos nossos pacientes. Por isso, estamos atentos na condução desse momento de pandemia, para que possamos atravessá-lo com o máximo de segurança possível”, destaca o diretor.

 

Texto e fotos: Mara Moreira / Agência IGESDF