Médicos residentes do Hospital de Base vencem prêmio nacional

Pesquisadores conquistaram os primeiros lugares da competição promovida pela Federação Brasileira de Gastroenterologia

Marina Mercante
27/11/2020 - 12h26

Duas pesquisas desenvolvidas em programas de residência médica do Hospital de Base do Distrito Federal (HBDF) faturaram os dois primeiros lugares no Prêmio Jovem Gastro 2020, promovido pela Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG). O resultado foi divulgado no último sábado (21) durante a Semana Brasileira do Aparelho Digestivo (Sbad).

Sandra Cobra, Marcos Carneiro, Carolina Oliveira, Liliana Mendes e Bruno Bandeira: estudo para melhorar atendimento de pacientes com cirrose

A residente de hepatologia Carolina Matos de Oliveira apresentou o trabalho vencedor, com o tema “Avaliação de pacientes com shunt intrapulmonar sem síndrome hepatopulmonar no ambulatório de hepatologia de um hospital terciário do Distrito Federal”.

A pesquisa investigou casos de shunt intrapulmonar em pacientes com cirrose (doença crônica do fígado) e procurou acompanhar quais deles desenvolveram síndrome hepatopulmonar, uma complicação que pode afetar a qualidade de vida e interferir na lista de transplante, até impossibilitando o procedimento. “Acompanhamos pessoas com alteração no ecocardiograma, mas sem alteração na gasometria arterial. Concluímos que, após um ano, 23% delas desenvolveram a síndrome”, explica Carolina Oliveira.

Segundo a médica residente, ainda há pouca literatura sobre esse tema. “Por isso, é importante essa valorização da nossa produção científica. A pesquisa ajuda a melhorar o atendimento”, reforça Carolina, que tem residência em gastroenterologia pelo Hospital de Base e em clínica médica pelo Hospital Regional de Taguatinga.

O trabalho teve a participação dos gastroenterologistas Bruno Bandeira e Marcos Carneiro e da cardiologista Sandra Cobra.

Segunda colocação

Em segundo lugar no Prêmio Jovem Gastro 2020, ficou o trabalho apresentado por Anna Paula Mendanha, residente do Programa de Gastroenterologia do Hospital de Base, com o tema “Spyglass na resolução de coledocolitíase primária: um relato de caso”.

Lígia Machado, Liliana Mendes, Flavio Ejima, Fernanda Viana e Anna Paula Mendanha pesquisaram o método terapêutico Spyglass

O estudo abordou o tratamento de um cálculo biliar de grandes dimensões com o método terapêutico Spyglass — aparelho introduzido via endoscopia que fragmenta o cálculo em microcálculos. O procedimento facilita a retirada e evita uma cirurgia.

“O Hospital de Base incentiva o estudo e a pesquisa, por ter infraestrutura e profissionais capacitados. Com isso, os pacientes são beneficiados com uma medicina humana e qualificada”, assegura Anna Paula, que também tem residência em clínica médica pelo Hospital Regional do Gama.

Anna Paula fez o trabalho em parceria com a colega residente Fernanda Barros Viana, o gastroenterologista e endoscopista Flavio Hayato Ejima e a técnica de enfermagem Lígia Aparecida Machado.

Inovação e pesquisa no HBDF

A médica Liliana Mendes foi a orientadora dos dois estudos vencedores. “O Hospital de Base é um ambiente rico, com variedade de doenças tratadas. A pesquisa traz inovação tanto para o trabalho dos profissionais de assistência quanto para os pacientes”, destaca a gastroenterologista.

Para Liliana, participar de competições como o Prêmio Jovem Gastro é “uma oportunidade de mostrar o serviço de excelência e de trazer mais residentes para os programas do Hospital de Base”.

O superintendente do HBDF, Lucas Seixas, comemorou o resultado. “Isso mostra a qualidade do nosso serviço mesmo em um ano de tantas dificuldades por causa da pandemia do coronavírus. Como gestor, me sinto muito orgulhoso.”

Fotos: Davidyson Damasceno/Ascom Iges-DF

Atendimento à imprensa
Ascom/Iges-DF
(61) 3550-8810
imprensa@igesdf.org.br