Secretário do MS pretende levar para outros estados modelo de atendimento de covid-19 do HB


29/06/2020 - 15h31

Autoridade visitou todas as alas de atendimento, conferiu leitos e vistoriou diversas áreas

 

O fluxo de atendimento a pacientes com covid-19 do Hospital de Base (HB) poderá ser replicado em outros hospitais do Brasil. A intenção foi anunciada pelo secretário de Atenção Especializada do Ministério da Saúde, Luis Otávio Franco Duarte, que conheceu o modelo de atendimento da unidade responsável por receber pacientes de alta complexidade na capital do país.

“Hoje eu vim visitar o Hospital de Base para acompanhar toda a estratégia de enfrentamento ao combate do coronavírus, conhecer toda a estrutura dessa unidade que atende pacientes de média e alta complexidade e ver como ele se adaptou para fazer todo esse atendimento. Realmente, o HB teve solução inteligente, efetiva, fluxo híbrido livre de covid-19 e prioritário para covid. Esse fluxo deverá ser replicado”, ressaltou a autoridade, que foi recebida pelo diretor-presidente do IGESDF, Sergio Costa.

O secretário do Ministério da Saúde destacou que a preocupação também é com os pacientes que estão com receio de ir até os hospitais por causa da pandemia. “Por isso, replicar esse fluxo é importante, para que os pacientes não covid-19 não fiquem em casa sem ser assistidos”, concluiu.

Sérgio Costa explicou ao representante do MS que o IGESDF faz a gestão do Hospital de Base e, para garantir assistência dos pacientes durante a pandemia, foi montado um plano de contingência oferecendo 66 leitos de UTI para covid-19 e mais 8 leitos de estabilização.

“Separamos o espaço físico do Hospital de Base para criar uma ala específica para covid-19. Temos capacidade de fazer todo o fluxo de atendimento com tomografia de tórax e testagem”, disse.

Costa detalhou que o Pronto-Socorro foi dividido em duas alas, sendo que a norte continua fazendo o atendimento rotineiro das doenças comuns e a ala sul está restrita para atendimento de casos de covid-19.

Outra ação foi definir rotas de saída de materiais e resíduos que vem da ala sul para evitar contaminação, bem como restrição do uso de elevadores. Em conjunto com as mudanças do Pronto-Socorro, para o complemento do atendimento das especialidades desse setor, uma tenda foi montada no ambulatório para o atendimento 24h das especialidades de Ortopedia, Onco-hematologia, Oftalmologia, Otorrinolaringologia e Urologia. O espaço conta com sala de acolhimento, classificação de risco, box de emergência com dois leitos, banheiros e espaço para espera.

Também foi montada, no ambulatório, uma sala exclusiva com cinco leitos para pacientes da Neurocardiologia a fim de que os doentes não fiquem expostos a outras patologias.

Outra melhoria foi a limpeza, que já era frequente no Hospital de Base, e passou a ser mais rigorosa, com o reforço de 100 auxiliares de serviços gerais contratados por seis meses pelo IGESDF. Com isso, são, aproximadamente, 420 profissionais cuidando da higienização de todas as alas. O objetivo é aumentar a limpeza e a desinfecção de ambientes e superfícies com foco na covid-19.

Os pacientes que já estão internados por outros motivos e, porventura, apresentarem algum sintoma da covid-19 são isolados nessas áreas e testados como medida preventiva, visando à proteção de todos.

 

Texto: Ailane Silva/Agência IGESDF