Telemedicina do IGESDF ultrapassa marca de mil teleinterconsultas


29/08/2020 - 12h38

Programa auxilia médicos a manterem contato com especialistas fora das unidades de saúde para otimizar prestação de serviço

O Programa de Telemedicina do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (IGESDF) ultrapassou a marca de mil teleinterconsultas nessa semana.

Implantado em março deste ano, o programa conta com uma Central de Telemedicina que funciona no Centro de Inovação, Ensino e Pesquisa (CIEP) e atende as seis Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), o Hospital Regional de Santa Maria (HRSM) e o Hospital de Base (HB). Esses locais contam com pontos de telemedicina que proporcionam o contato em tempo real entre os médicos responsáveis pelo atendimento dos pacientes e os médicos especialistas.

Conforme explica o diretor de inovação, ensino e pesquisa do IGESDF, Everton Macêdo, com a Telemedicina, os médicos das UPAs e das Emergências do Hospital de Base e de Santa Maria tem à disposição sete especialidades para auxiliar no atendimento dos pacientes internados.

“Os médicos destas unidades se comunicam com os especialistas da cardiologia, clínica médica, endocrinologia, infectologia, nefrologia, pneumologia e terapia intensiva por intermédio de videoconferência. O contato rápido entre as equipes médicas otimiza o tempo de resposta e qualifica melhor as demandas para a movimentação dos pacientes entre as unidades do IGESDF”, acentua.

Para a vice-presidente do IGESDF, Emanuela Ferraz, a gestão estratégica dos serviços de saúde deve estar associada ao desenvolvimento e expansão dos modelos de prestação de serviços.

“A tecnologia deve ser uma aliada nesse processo, sendo a telemedicina um instrumento que facilita o atendimento a pacientes, sobretudo em situações de dificuldade de locomoção ou de isolamento como na atual pandemia”, destaca.

O diretor-presidente do IGESDF, Sergio Luiz da Costa, destaca que essa iniciativa do Instituto agiliza o cuidado prestado a pacientes atingidos pela pandemia.

“Com a implantação do programa temos a possibilidade de desenvolvermos inovações em saúde digital para conectar especialistas e o local de atendimento, usando um sistema inteligente de gestão das demandas. Isso nos permite continuar a prestação de serviços na saúde pública e atender às demandas de forma qualificada, mesmo nesse momento em que enfrentamos uma pandemia”, pontua o presidente.

 

Texto: Leilane Oliveira / Agência IGESDF

Foto: Davidyson Damasceno / Agência IGESDF