Tendas do IGESDF já atenderam 14,6 mil pessoas com suspeita de dengue


08/05/2020 - 13h14

Do total de pacientes atendidos, 6.856 foram diagnosticadas com a doença

As estruturas especiais para atender casos suspeitos de dengue montadas pelo Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (IGESDF) já atenderam 14.654 pacientes, de 17 de fevereiro a 7 de maio, sendo que 6.856 pessoas estavam com a doença.

“É importante que a população faça a sua parte, eliminando água parada dentro de casa. Dessa forma, vamos evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti, que é o transmissor da doença”, ressaltou o diretor–presidente do IGESDF, Sergio Costa.

As unidades que atendem pacientes com suspeita de dengue estão funcionando ao lado do Hospital Regional de Santa Maria (HRSM) e das cinco Unidades de Pronto Atendimento (UPAs). A UPA do Núcleo Bandeirante deixou de atender casos de dengue e passou a atender exclusivamente, desde 23/3, casos suspeitos da covid-19.

RECORTE MENSAL – No mês de fevereiro, do dia 17 ao dia 29, mês em que apenas duas estruturas tinham sido montadas ao lado das UPAs de Ceilândia e Sobradinho, foram 1.069 atendimentos, sendo 454 positivos. No mês de março, do dia 1º ao dia 31, quando mais cinco estruturas foram erguidas ao lado das demais UPAs e no Hospital Regional de Santa Maria, foram realizados 5.268 atendimentos, sendo 2.407 casos confirmados. Em abril, de 1 a 28, foram 6.681, sendo 3.264 casos confirmados. Até o dia 7 de maio, foram 1.636 atendimentos, sendo que 731 pessoas estavam com a doença.

ESTRUTURA – O modelo de atendimento é similar em todas as tendas montadas pelo IGESDF. São 50 metros quadrados e as estruturas contam com sala de triagem, consultório médico, 10 leitos de hidratação venosa e sistema de ar condicionado. Nos locais, é possível fazer o diagnóstico clínico, teste rápido e teste laboratorial e hidratação dos pacientes.
As tendas contam com médicos, técnicos de enfermagem, enfermeiros, técnicos de laboratório, analistas de laboratório, auxiliares de atendimento e auxiliares de serviços gerais para fazer a limpeza.

O funcionamento é das 7h às 19h, todos os dias e, se necessário, o horário pode ser estendido para 24h por dia.

 

COMBATE AO AEDES – O engajamento da população é fundamental no combate ao Aedes aegypti. A principal forma de se prevenir contra as doenças transmitidas pelo mosquito é manter o monitoramento constante nas residências, sempre buscando evitar água parada e a proliferação do inseto.

É necessário manter caixas d’água, tonéis e barris de água tampados, fechar bem os sacos plásticos com lixo, manter garrafas de vidro ou plástico sempre com a boca para baixo e encher os pratinhos ou vasos de planta com areia até a borda. Também é preciso limpar as calhas com frequência, evitando que galhos e folhas impeçam a passagem da água.

 

Texto: Ailane Silva/IGESDF

Fotos: Davidyson Damasceno/IGESDF