SALVAR VIDAS É O NOSSO COMPROMISSO.

UPAs recebem bolsas para armazenar kits usados em casos de infarto

Acessório possui compartimentos para facilitar transporte de medicamentos fundamentais nesse tipo de emergência

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Ailane Silva

Bolsas serão usadas nas UPAs para transportar medicamentos e acessórios

As seis unidades de pronto atendimento (UPAs) do Distrito Federal receberam, nesta terça-feira (3/8), mochilas para armazenar kits usados no atendimento de pacientes com infarto agudo do miocárdio. A bolsa possui compartimentos onde é possível guardar os sete tipos de medicamentos e o cateter para oferta de oxigênio, facilitando o manuseio e aumentando a rapidez no atendimento dos pacientes.

A entrega foi realizada no auditório do Edifício PO 700, com a presença diretora de Ensino e Pesquisa do IGESDF,  Emanuela Ferraz; do diretor de Atenção à Saude do IGESDF, Jair Tabichuri;  e do secretário de Saúde, Osnei Okumoto.

Superintendente Nadja Vieira, RTD Edna Marques, diretora Emanuella Ferraz, diretor Jair Tabchoury e assessora especial do Gabinete da  SES, Arilene Luiz

“Essas bolsas são fundamentais para facilitar o manuseio do material e melhorar o atendimento, aumentando as chances de salvar vidas de mais pacientes”, ressaltou a superintendente Pré-Hospitalar do IGESDF, Nadja Viera.

As UPAs receberam as bolsas, porque fazem parte do projeto Sprint, uma iniciativa lançado pela Secretaria de Saúde do Distrito Federal em 2019, que consiste em uma parceria com empresas do setor privado (Boehringer e Allm), que forneceram tablets com um aplicativo chamado Join. Com o software, o médico que atende o paciente com suspeita de infarto preenche um questionário para obter dados que indicam a melhor opção terapêutica.

O programa também permite a comunicação entre as equipes médicas de unidades referenciadas com a possibilidade de discussão do caso clínico e, ainda, uma segunda opinião, tudo em tempo real.

Assim, ocorre a integração de hospitais regionais e UPAs aos hospitais de referência cardiológica da Rede de Saúde do Distrito Federal – Hospital Regional de Taguatinga e do Gama – aos centros de hemodinâmica (Hospital de Base e Instituto de Cardiologia do DF) utilizando aplicativo instalado em um tablet.

“Com a organização do fluxo de atendimento e da organização entre UPAs e hospitais, conseguimos dar o melhor tratamento, reduzindo a mortalidade  e as complicações do infarto agudo do miocárdio. Hoje, para facilitar anda mais esse trabalho, as UPAs receberam a mochila”, finalizou a referência Técnica Distrital de Cardiologia da Secretaria de Saúde, Edna Maria Marques de Oliveira

DADOS – De acordo com a Sociedade Brasileira da Cardiologia, mais de 237 mil pessoas já morreram em 2021 vítimas de infarto. As doenças cardiovasculares, afecções do coração e da circulação, representam a principal causa de mortes no Brasil. São mais de 1100 mortes por dia, cerca de 46 por hora, 1 morte a cada 1,5 minutos (90 segundos).

Atendimento à imprensa
Ascom/Iges-DF
(61) 3550-9281
imprensa@igesdf.org.br

Compartilhe esta notícia pelo:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Nossas redes:

IGESDF | SMHS - Área Especial - Quadra 101 - Brasília - DF | CEP: 70.335-900 | CNPJ: 28.481.233/0001-72