SALVAR VIDAS É O NOSSO COMPROMISSO.

Vigilância Sanitária aprova plano de gerenciamento de resíduos do HB

Documento orienta sobre a destinação correta do lixo hospitalar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Thays Rosário

A Diretoria de Vigilância Sanitária do Distrito Federal (Divisa) aprovou, nesta sexta-feira (19), o Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde de 2021 do Hospital de Base (HB). O documento, que é atualizado anualmente, prevê as regras de como fazer o manuseio adequado de resíduos, desde o momento da geração até a destinação final, evitando contaminação e, ainda, reduzindo o impacto ambiental.

Resíduos
Resíduos hospitalares podem conter agentes infecciosos e precisam passar por processos diferentes de um lixo comum

O texto foi elaborado pela Superintendência Operacional, por intermédio do Núcleo de Hotelaria da unidade hospitalar, que é administrada pelo Instituto de Gestão Estratégica de Saúde (Iges-DF).

“O plano prevê que os resíduos sejam separados por categorias, entre elas, infectante, química, comum e perfurocortantes. De acordo com cada classificação, é necessário seguir etapas diferentes, o que contribui com o meio ambiente e evita que as pessoas ou o meio ambiente sejam infectados”, ressaltou a bióloga Karen Oliveira, responsável pelo gerenciamento de resíduos do HB.

Ela citou como exemplo de resíduos as seringas e agulhas, produtos usados rotineiramente pelos profissionais de saúde que atuam no ambiente hospitalar. “Esses itens podem conter um agente infeccioso e precisam passar por processos diferentes de um lixo comum para serem descartados. Dependendo, pode ser necessário incinerar, enviar para aterro ou receber tratamento prévio antes de sair do hospital ”, explicou.

Ainda segundo ela, foi necessário fazer uma série de adequações para obter a aprovação da Divisa, entre elas, criar abrigos temporários dentro do hospital. “Esses abrigos são locais onde os resíduos ficam alocados antes de ir para uma destinação final”, pontua.

A chefe do setor de Hotelaria, Célia Regina Vieira, frisou que a implantação do plano é um pré-requisito para a emissão de licenças dos demais setores do HB. “A Vigilância Sanitária pode não liberar alguns alvarás na ausência dessa documentação, o que poderia impactar no funcionamento de alguns serviços”, disse.

O próximo passo agora será realizar o treinamento dos profissionais do HB sobre o conteúdo do plano a partir de março deste ano. O documento também será incluído em sistema eletrônico de gestão hospitalar para que todos os colaboradores do Iges-DF tenham acesso e possam tirar dúvidas durante as capacitações.

Atendimento à imprensa
Ascom/Iges-DF
(61) 3550-8810
imprensa@igesdf.org.br

Compartilhe esta notícia pelo:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Nossas redes:

IGESDF | SMHS - Área Especial - Quadra 101 - Brasília - DF | CEP: 70.335-900 | CNPJ: 28.481.233/0001-72