Oficinas reforçam importância de serviço humanizado

Evento aborda temas como solução de conflitos e gentileza no atendimento. Primeiro dia foi voltado a gestores

Thays Rosário
11/01/2021 - 18h28

Para oferecer um atendimento cada vez mais de qualidade, chefes setoriais das unidades administradas pelo Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do DF (Iges-DF) participaram nesta segunda-feira (11) do primeiro dia do Circuito de Oficinas do Humanizar. O encontro ocorreu de manhã no Hospital de Base (HB) e à tarde no Hospital Regional de Santa Maria (HRSM). Amanhã (12) e na quarta (13), o evento será voltado aos demais colaboradores do instituto.

Gestores participaram de atividades lúdicas durante o evento
Atividade lúdica no Hospital Regional de Santa Maria, durante oficinas na tarde de hoje

“Todas as áreas devem estar integradas neste processo de humanização, desde os gestores até os auxiliares lá na ponta. É preciso oferecer o atendimento com a maior qualidade possível, não apenas na prestação do serviço, mas principalmente no respeito aos direitos dos pacientes”, reforçou Larissa, assessora da Diretoria de Inovação, Ensino e Pesquisa (Diep) e organizadora do evento.

O circuito de oficinas abrange os seguintes temas:

  • Apresentação pessoal
  • Direitos dos usuários do SUS
  • Gentileza no atendimento
  • Gestão humanizada
  • Identificação do paciente grave
  • Libras
  • Solução de conflitos de forma produtiva

Os superintendentes do Hospital de Base e do Hospital de Santa Maria participaram do evento de hoje. “É fundamental o atendimento humanizado nos hospitais públicos, com acolhimento do paciente desde a entrada na unidade até a saída. O tratamento apresenta resultados bem melhores quando há essa preocupação”, afirmou Lucas Seixas, responsável pelo HB.

Equipe que participou do evento no Hospital de Base no período da manhã

“A principal lição dessas oficinas é saber que hospitais podem ter tecnologias de ponta, os melhores médicos e as melhores técnicas, mas, se não entregarem afeto e acolhimento ao paciente, não estão oferecendo nem metade do tratamento de que ele precisa”, completou o superintendente do HRSM, Willy Pereira.

Sobre o Humanizar

Criado em 19 de novembro de 2019, o projeto Humanizar segue as diretrizes estabelecidas pela Política Nacional de Humanização do Ministério da Saúde. A proposta é melhorar a relação entre pacientes, familiares e profissionais com acolhimento logo às portas de entrada das unidades de saúde.

Inicialmente, foi implementado no Hospital de Base, sendo depois levado para o Hospital Regional de Santa Maria (HRSM) e para as seis UPAs. Atualmente o projeto é composto por 111 colaboradores, entre gestores, consultores, analistas e auxiliares.

Edição: Marina Mercante

Atendimento à imprensa
Ascom/Iges-DF
(61) 3550-8810
imprensa@igesdf.org.br