Saúde masculina: Novembro Azul alerta para o combate ao câncer de próstata


04/11/2020 - 14h37

Por ano, a doença chega a matar 15 mil homens em todo o Brasil. Campanhas ajudam a combater o preconceito com o exame clínico

Ederson Marques

O câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens no Brasil. Ele só perde em números para o câncer de pele não melanoma. Segundo estimativa do Instituto Nacional do Câncer (Inca), de janeiro a dezembro deste ano, serão contabilizados aproximadamente 840 novos casos no Distrito Federal e 65 mil em todo o país. Por isso, a importância da campanha mundial do Novembro Azul, que serve para conscientização da prevenção e do diagnóstico precoce sobre a doença.

Iges-DF lançou campanha do Novembro Azul

A gravidade em não se perceber alguns sintomas e o preconceito com o exame clínico são fatores que levam ao aumento de vítimas fatais a cada ano. De acordo com o Atlas de Mortalidade por Câncer, do Ministério da Saúde de 2018, que é a edição mais atualizada, 15.576 brasileiros morreram pela doença naquele ano. Desses, 153 eram moradores da capital federal.

Para o chefe da Unidade de Urologia do Hospital de Base, Dr. João Ricardo Alves, apesar de os números ainda serem altos, nos últimos anos já se percebe uma maior procura por médicos por parte dos homens aqui no Brasil. Segundo ele, isso se deve a campanhas como a do Novembro Azul, que ajudam na conscientização sobre a necessidade do diagnóstico precoce do câncer de próstata. “Houve um importante aumento na busca por avaliação periódica”, informou.

> Leia também: Hospital de Base fará 100 cirurgias de próstata pelo Novembro Azul

Por outro lado, João Ricardo chama atenção para o preconceito com o exame clínico. “Isso, somado ao fator cultural de que o homem procura menos o médico que as mulheres, pode trazer sérias consequências à saúde masculina”, alertou.

Fatores de risco para o câncer de próstata

Outros fatores podem aumentar o risco da doença, como a idade acima de 50 anos e o excesso de gordura corporal. O fator genético também precisa ser observado. Ter pai ou irmão com histórico de câncer de próstata antes dos 60 anos é um indicativo preocupante. Por fim, uma alimentação rica em gordura animal, ou em carne, pode aumentar as chances de desenvolver a doença.

Segundo o Inca, o diagnóstico precoce do câncer de próstata possibilita melhores resultados no tratamento e deve ser buscado com a investigação de sinais e sintomas como:

• Dificuldade de urinar
• Diminuição do jato de urina
• Necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite
• Sangue na urina

Por muitas vezes, esses sintomas não são causados apenas pelo câncer, mas é importante que eles sejam investigados por um especialista.


Edição: Marina Mercante

Atendimento à imprensa
Ascom/Iges-DF
(61) 3550-8810
imprensa@igesdf.org.br